Professores do Colégio Vasco da Gama estão com salários atrasados

16/10/2020 às 08h05 - CLUBE

O presidente do Vasco, Alexandre Campello, fez festa para reinaugurar o colégio que o clube mantém dentro de São Januário. O clima entre aqueles que trabalharão no local, no entanto, estava longe de acompanhar os sorrisos do dirigente em campanha - tentando se reeleger no cargo.

Assim como funcionários de outros departamentos, os professores do Colégio Vasco da Gama seguem sem receber os vencimentos devidos do clube. Após terem os salários reduzidos no programa do Governo Federal implementando em meio à pandemia do novo coronavírus, os profissionais só têm recebido a parte que cabe ao poder público. A gestão de Campello não vem pagando o que lhe compete.

Trabalhadores ouvidos pelo UOL Esporte, inclusive, desconstruíram a tese do tal "acordo interno" para pagamento até o dia 20 de cada mês, informando que - quando recebem - são pagos no dia 5. Alguns alegam não receber os valores devidos pelos meses de junho, julho, agosto e setembro. Outros informam não terem recebido os últimos três meses.

Vasco promete "pagamento em breve"

Procurado pela reportagem, o Vasco admitiu os atrasos: "Em relação aos salários dos professores, a previsão é de pagamento em breve de uma das duas folhas em atraso, assim como de todos os outros funcionários". Sobre o tom de campanha, a administração de Campello reforçou que "a reinauguração do mesmo já estava prevista para esta data independentemente de as aulas retomarem, ou não".

Os professores alegam ainda que, embora estejam numa carga reduzida em 50% por conta da pandemia, estão trabalhando "muito mais que a carga normal".

Sem aulas presenciais como precaução ao coronavírus, os estudos têm sido feito de maneira online. Em função disso, ainda não há uma previsão de quando os alunos passarão a receber os ensinos no novo local, sabe-se apenas que o retorno não acontecerá este ano.

Sobre a estrutura reinaugurada, eles aprovaram, mas fizeram a observação de que acharam as salas pequenas e insuficientes, em quantidade, para atender toda a demanda das aulas presenciais.

Campello adota slogan de campanha: "No rumo certo"

Durante seu discurso de reinauguração, Alexandre Campello enfatizou seus esforços para colocar de pé o projeto de reforma da escola e utilizou o nome de sua chapa à reeleição, "No Rumo Certo", como slogan para seus feitos no setor patrimonial.

"Nunca, em tão pouco tempo, se fez tanto pelo Vasco, principalmente na área de patrimônio. Volto a dizer: estamos no rumo certo", disse, reforçando o tom eleitoreiro do evento.

Estrutura de contêiner

O novo colégio Vasco da Gama tem uma estrutura de contêiner e conta com mais conforto aos alunos. A antiga escola, adaptada à uma construção residencial, foi demolida. No total, são sete salas com ar condicionado, cada uma com o nome e a foto de um jogador de expressão revelado pelo clube e que estudou no local, casos de Philippe Coutinho, Alex Teixeira, Alan Kardec, Paulinho, Douglas Luiz e Souza.

Segundo o vice-presidente de Patrimônio, André Luiz Afonso, o local terá uma expansão em breve.

"Quem viu prédios velhos e caindo aos pedaços, hoje tem sete salas de aulas e, em breve, teremos expansão. Se prepara, presidente, que vamos ter a expansão", avisou no evento com transmissão ao vivo da Vasco TV.

Fonte: UOL Esporte