Projeto feito por torcedor quer arrecadar R$ 1,5 mi para o Vasco em um mês

30/07/2020 às 08h00 - CLUBE

A ideia de um torcedor, o apoio da direção e a certeza da força dos vascaínos. É baseado nesta trinca que um projeto pretende ajudar a aliviar a grave crise financeira vivida pelo Vasco. Batizada de "Sou Gestor Gigante", a iniciativa visa arrecadar recursos entre simpatizantes, torcedores e sócios do clube para o pagamento, especialmente, de salários de jogadores e funcionários.

Em fase final de elaboração, a plataforma online deve ser lançada em setembro. Pelo menos é a expectativa de Diogo Santos, analista de sistemas, sócio vascaíno e idealizador da ação. Com doações a partir de R$ 5, a meta inicial é ousada: somar R$ 1,5 milhão logo no primeiro mês.

- Não se pode duvidar da torcida do Vasco. Ela é muito solidária, é de muito respeito. Temos visto, desde o ano passado, exemplos de ajuda ao clube: associação em massa, compra de ingressos virtuais... No Sou Gestor Gigante, conseguiremos contemplar ainda o vascaíno que não tem condições de pagar uma mensalidade para ser sócio, mas que deseja ajudar o clube neste momento difícil - explica Diogo.

Grosso modo, o "Sou Gestor Gigante" seria um fundo de investimentos dos torcedores. A partir da criação de uma empresa independente do clube, definiria por meio de votação interna a administração dos recursos captados. E, desta forma, evitaria a repetição de uma frustração de Diogo e muitos vascaínos.

- Na associação em massa do ano passado, o torcedor atendeu ao chamado do clube. Ali eu vi a vontade de ajudar, mas a frustração de ver o dinheiro ser usado para pagar dívidas e cumprir penhoras judiciais. Aquela ideia de usar os recursos no futebol não aconteceu, então passei a pensar uma forma de criar um mecanismo para o dinheiro doado não correr risco de ser bloqueado pela Justiça. Assim, nasceu o projeto - lembra Diogo.

Um intenso debate entre torcedores, conduzido por Diogo, desenvolveu a ideia. Em diversas reuniões, a direção do Vasco a aprovou. Tanto que Carlos Leão, vice de finanças, deu aval público ao prosseguimento da iniciativa em entrevista recente ao canal "Atenção, Vascaínos".

- A direção apoiou e, por isso, a plataforma andou. Agora, é importante destacar que o projeto é apolítico. Eu sou sócio, mas não tenho direito a voto. A iniciativa é totalmente independente - completa Diogo.

O que é o "Sou Gestor Gigante"?

É uma plataforma de doação de dinheiro ao Vasco. Interessados poderão se cadastrar no site do projeto. Para tal, basta ter CPF - serão aceitas contribuições apenas de pessoas físicas. Com valor mínimo de R$ 5 e sempre múltiplo de cinco, caberá a cada participante decidir a quantia e a periodicidade da ajuda. É totalmente livre.

Como será possível doar?

As doações serão feitas via Mercado Pago, com pagamento em cartão de crédito e débito, boleto e transferência. Quem mora fora do Brasil poderá fazê-lo pela ferramenta Paypal.

Quais os objetivos da iniciativa?

- Pagamento (integral ou parcial) de salários de funcionários e atletas.

- Pagamentos diversos: manutenção da estrutura, água, energia elétrica, etc.

- Quitação de dívidas: tributárias, trabalhistas e acordos celebrados.

- Outros anseios dos doadores: compra de direitos econômicos de jogadores e projetos sociais.

- O projeto nasceu com a ideia de manter os salários em dia. Esse era o sonho dos sonhos. Agora, temos de entender o contexto do clube. Por qual motivo o Vasco sofre penhoras? Por não ter fluxo de caixa. Não há dinheiro suficiente para pagar todas as obrigações e, por isso, algumas são escolhidas. Então, queremos ajudar a dar fôlego e equacionar as contas. A partir do momento que o Vasco fazer as solicitações, dentro dos objetivos pré-estabelecidos, decidiremos em votação o que será atendido - explica Diogo Santos.

Como será definido o uso do dinheiro?

A medida que o dinheiro for arrecadado, o Vasco vai apresentar ao projeto quais as suas necessidades. A votação online iniciará às 12h do dia seguinte à solicitação do clube. Por 72 horas, os doadores ativos (mediante sistema de pontos) votarão para aprovar ou negar a doação para aquele fim. O clube terá de justificar o gasto apresentando documentos, como orçamento e boleto para pagamento.

Exemplo: troca do sistema de iluminação de São Januário. Ao enviar a proposta, o Vasco terá de apresentar a necessidade, o valor do serviço, a empresa com o melhor orçamento e o boleto para efetuar o pagamento.

Como funciona o sistema de pontos?

A cada R$ 5 doados, o contribuinte somará um ponto. E cada ponto equivale a um mês ativo no programa. Para participar das primeiras votações, será necessário ter 20 pontos. Caso o doador não esteja ativo, continuará tendo acesso à plataforma, porém não poderá votar.

Como evitar que o dinheiro arrecadado seja penhorado?

Todos os pagamentos autorizados serão feitos diretamente ao credor, prestador de serviço ou outro. Para evitar penhoras judiciais, o programa não fará depósitos ou transferências para a conta do Vasco. Paral tal, uma empresa será constituída com CNPJ diferente daquele do Vasco.

A exceção é o pagamento de salários. A lei trabalhista não permite que isso seja terceirizado. Então, caso o Vasco solicite verba para tal e isso seja aprovado pelos doadores, terá de se organizar para evitar o risco de ter o dinheiro penhorado.

Como haverá controle do uso do dinheiro?

A plataforma promete transparência para mostrar arrecadação e doação ao Vasco de forma detalhada. Há a previsão de, a cada três meses, uma auditoria ser feita sobre a captação e a destinação dos recursos.

Quais os custos?

O Mercado Pago cobra taxa de cada doação: R$ 1,90 para o boleto, R$ 3,34 para o cartão e R$ 3 para transferência. Além disso, há custos com abertura de empresa, contador, jurídico, servidor e layout da plataforma. Tudo será informado e descontado do valor arrecadado. Eventuais patrocínios a serem arrecadados serão destinados ao organizador.

Fonte: GloboEsporte.com