Ramon vê semelhança entre Vasco de 2019 e 1996

09/01/2019 às 12h54 - FUTEBOL

A pré-temporada do Vasco, realizada em Atibaia, recebeu algumas caras novas. E não foi só no elenco do técnico Alberto Valentim, que ganhou oito reforços, mas também na comissão técnica. Uma das chegadas neste corpo técnico foi a de Ramon Menezes, que será o novo auxiliar permanente. O ídolo cruzmaltino retornou ao clube e viu semelhanças neste período com aquele em que chegou como jogador, no fim de 1996, como o próprio conta.

- Foi uma satisfação muito grande no final de 96 ter a oportunidade de chegar ao Vasco para trabalhar como atleta. Fiz parte de uma construção de trabalho pelo treinador Antônio Lopes. Essa construção que gerou vários frutos, títulos para o Vasco. Uma época que marcou a história do clube. Agora, nesse retorno, fazendo parte de um corpo técnico, é lógico, a expectativa é a melhor possível. O Vasco é um clube muito grande, tem uma torcida fantástica e nós sabemos da responsabilidade. Eu encarei esse desafio sabendo disso. Desde o primeiro momento foi uma felicidade muito grande em poder contribuir, ajudar e passar um pouco do conhecimento que obtive desde 2013 quando parei de jogar. Pretendo ajudar ao Alberto e toda a comissão. O Vasco manteve sua base, o que é muito importante. É uma fase de construção. Parece um pouco daquilo que vivi em 96, quando cheguei. Pra reviver aquilo é necessário respirar o clube 24 horas por dia e o clube está dando toda a estrutura. Estou super motivado e espero contribuir da melhor maneira possível - disse.

A função de auxiliar técnico não é novidade na vida de Ramon. Desde que se aposentou da função de jogador, passou a se preparar para assumir a função. A primeira chance foi em 2013, no Joinville. Depois disso, assumiu o comando principal do goiano Anápolis e do mineiro Tombense. Durante todos esses anos, o auxiliar vascaíno vem fazendo os cursos e está próximo de tirar a Licença Pro, da CBF.

- Eu sempre fui um jogador muito observador. Quando parei de jogar, eu voltei a estudar, fiz o CREF, meu primeiro curso de treinador foi ABTF, fiz os dois módulos da Licença B, tirei a Licença A, vou fazer o último módulo da Pro. Tive a oportunidade de voltar ao Joinville em 2013 como auxiliar, no ano seguinte fui campeão brasileiro da Série B. Em 2015 tive minha primeira experiência como treinador no Anápolis, depois o Joinville, oito meses no Tombense. Algumas experiências vividas, que me dão um respaldo, até mesmo pelo que vivi dentro e fora de campo, buscando essa qualificação. Tem tudo para ajudar e agradecer ao Vasco pela oportunidade - explicou Ramon.

Como jogador, Ramon conquistou quatro títulos pelo Vasco: o Campeonato Brasileiro em 97, o Carioca e a Libertadores em 98 e o Rio-São Paulo em 99. Ídolo da torcida, Ramonzinho, como era chamado pelo antigo técnico Antônio Lopes, ainda teve mais duas passagens pelo Gigante da Colina, em 2002 e 2006. Ciente da força da torcida cruzmaltina, o auxiliar técnico pediu que o vascaíno siga acreditando no trabalho e mira bons resultados em 2019.

- O que eu posso passar para o torcedor é que ele pode acreditar, eles já deram uma demonstração enorme no ano passado. Os remanescentes do grupo sentiram na pele o que é vestir a camisa do Vasco. O torcedor pode acreditar que o trabalho feito é sério. Estão todos se esforçando ao máximo em busca de metas e objetivos. Estamos trabalhando muito para que o Vasco consiga voltar a ser forte dentro de campo. Fora dele a torcida já provou que é gigante - finalizou.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.brRamon também jogou em evento em São Januário
Ramon também jogou em evento em São Januário

Fonte: Site oficial do Vasco

Mercado

Não Confirmado

Você aprova a saída de Gabriel Félix?

Especulações Mercado