Raul vira peça-chave no meio do Vasco e ganha nova função com Luxemburgo

02/08/2019 às 08h32 - FUTEBOL

Discreto, quieto no dia a dia e alheio a holofotes, o volante Raul ganhou seu espaço no Vasco e tem sido importante para o técnico Vanderlei Luxemburgo na luta contra o rebaixamento. Assim que chegou ao clube, o treinador mudou o esquema tático da equipe para jogar com três homens de marcação no meio de campo. E o cearense de 23 anos teve de se adaptar.

Contratado em 2018 do Ceará, Raul chegou ao Cruz-Maltino como primeiro volante. Aquele cara que fica ali na frente da zaga para proteger a defesa dos ataques adversários - formava dupla com Andrey. Com a chegada de Luxemburgo, e também a contratação de Richard, o jogador virou segundo volante.

Apesar de a posição ser quase a mesma no papel, na prática é diferente. Raul tem mais liberdade para atacar e até a "obrigação" de ser um dos homens-surpresa no sistema ofensivo do Vasco.

- O professor (Luxemburgo) optou por me jogar um pouco mais para a frente. Tenho força física, ajudo na marcação, também. Acho que isso está ajudando no meu crescimento. Aqui sempre joguei mais como primeiro volante, sempre mais atrás, dando suporte para a defesa, fechando linhas. Fazemos muito trabalho defensivo. Somos muito cobrados ali atrás. Agora venho tendo liberdade. Isso é muito bom - disse Raul em entrevista ao GloboEsporte.com.

No dia a dia, Raul costuma ser aquele jogador que prefere ouvir piadas ao contá-las - diz até que é mais fácil marcar do que fazer os amigos darem risada. O jeito discreto só fora de campo, aliado às boas atuações, conquistou o ambiente do Vasco.

- Eu penso muito no grupo. Futebol é coletivo. Sabemos que acontece rodízio, joga quem está melhor. O professor acredita no meu trabalho, no meu potencial, e venho fazendo meu trabalho. Pouco visto, mas dentro da função tática, do planejamento, acredito que faço um bom trabalho. Venho sempre mantendo a regularidade.

- Eu sou um cara quieto. Gosto muito de dar risada, às vezes fico com os meninos. Mas fico na minha. Sou de boa. Cearense já tem fama de contar piada, aí os caras vão zoar. Não sou muito bom nisso, não. Marcar é bem mais fácil do que contar piada, porque aí eu vou ajudar a minha equipe. E contar piada não vai dar certo - brincou Raul.

Veja, abaixo, outros trechos da entrevista com o volante do Vasco:

- Acho que estamos trabalhando sério desde o começo do Brasileiro. Teve alguns jogos que não jogamos bem, mas com a chegada do Luxemburgo estamos pontuando dentro e fora de casa. Primeiro queríamos sair da zona da confusão, agora vamos a cada jogo tentando conquistar as vitórias.

- Acho que todo atleta gosta de fazer gol, mas não tenho meta de gols. Sou um cara que gosta de ajudar meus companheiros. Independentemente de gol. Procuro sempre ajudar meus companheiros.

- Acho que hoje a maioria joga com três volantes, só muda um pouco a formação, algumas jogadas. Nosso time está muito bem, compactado, a gente treina bastante também. O professor pede para estarmos compactados.

Fonte: GloboEsporte.com