Relembre a curiosa chegada do primeiro técnico português que treinou o Vasco

14/10/2020 às 12h07 - FUTEBOL

Muito antes de redes sociais, como Linkedin e afins, os anúncios de jornais eram uma boa fonte para se procurar emprego. E por mais inacreditável que isto possa aparecer nos tempos atuais, foi assim que há 74 anos o Vasco contratou o seu primeiro treinador português para a equipe profissional de futebol: Ernesto Santos.

Diferentemente de seu conterrâneo Ricardo Sá Pinto, que teve a seu favor os adventos da internet, scouts e analistas de desempenho para ter seu trabalho avaliado pela diretoria e ser anunciado hoje (14) pelo Cruz-maltino, Santos precisou se apresentar "até o dia 10 do corrente, às 18 horas, no Departamento Técnico, no estádio de São Januário, munido de provas de suas habilitações e de documentos de sua idoneidade moral e profissional", como destacava o informativo no tradicional diário carioca Jornal do Brasil.

Campeão pelo Porto (POR) em 1936/1937, o ex-zagueiro foi morar no Rio de Janeiro e atuou no São Cristóvão e no Fluminense. Após se aposentar, tornou-se professor catedrático no início da década de 40 na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) até que, em 1946, viu o fatídico anúncio no jornal e tornou-se treinador vascaíno.

Na ocasião, o informativo ainda destacava os vencimentos do contrato: Cr$ 45 mil de luvas, salário de Cr$ 3 mil, prêmios por vitórias ou empates iguais aos dos jogadores e prêmio de Cr$ 20 mil caso fosse campeão carioca.

A "inovadora" aposta do Vasco, porém, não foi duradoura. Ernesto Santos foi treinador por apenas 12 partidas, com cinco vitórias, cinco empates e duas derrotas, num ano completamente atípico no comando técnico cruz-maltino.

"O ano de 1946 foi atípico, com muitas trocas de técnico no Vasco. Além do próprio Ernesto Santos, assumiram o comando técnico de forma continuada ou avulsa para um único jogo: Ondino Vieira, Flavio Costa, Gentil Cardoso, Martin Silveira, Umberto Cabelli, José Ferreira Lemos (Juca da Praia) e Roque Calocero. Coisa de doido", detalhou ao UOL Esporte o historiador vascaíno Henrique Hübner, ex-diretor do Centro de Memória do clube.

Após deixar o Vasco, o português foi contratado pelo rival Flamengo e teve uma sequência mais duradoura, com 47 jogos, 27 vitórias, dez derrotas e dez empates.

Os 12 jogos de Ernesto Santos no Vasco

No comando do Vasco, Ernesto Santos não teve um bom desempenho contra rivais. Ele empatou com Flamengo e Botafogo e perdeu para o Fluminense. Já em relação aos clubes tradicionais e que eram fortes na época, venceu o São Cristóvão e goleou o América, mas sofreu uma acachapante goleada do Bangu em sua estreia. Veja todos os jogos abaixo:

13/07/1946 - Vasco 2 x 6 Bangu
21/07/1946 - Vasco 1 x 2 Canto do Rio
28/07/1946 - Vasco 4 x 0 Madureira
03/08/1946 - Vasco 2 X 2 Flamengo
10/08/1946 - Vasco 5 X 1 América
18/08/1946 - Vasco 2 X 2 Bonsucesso
25/08/1946 - Vasco 0 x 2 Fluminense
01/09/1946 - Vasco 3 x 1 São Cristóvão
08/09/1946 - Vasco 1 X 1 Botafogo
15/09/1946 - Vasco 1 x 1 Bangu
22/09/1946 - Vasco 3 x 1 Canto do Rio
28/09/1946 - Vasco 2 X 2 Madureira

Último técnico estrangeiro foi em 1960

A última vez que o Vasco teve um técnico estrangeiro foi há 60 anos, com o argentino/espanhol Abel Picabéa.

O português Ricardo Sá Pinto será o décimo "gringo" da história do clube.

Os uruguaios são maioria até aqui, com quatro, sendo que ostentam o primeiro de todos: Ramón Platero, de 1922 a 1927, conhecido por comandar os famosos "Camisas Negras".

Confira abaixo o anúncio do Vasco no Jornal do Brasil em 1946:

"Club de Regatas Vasco da Gama

Aviso

O Departamento de Futebol Profissional do Club de Regatas Vasco da Gama convida os técnicos de futebol com serviços prestados em clubes das federações paulista e carioca, que desejarem se candidatar a ocupar o lugar de técnico de futebol do referido clube, a se apresentarem até o dia 10 do corrente, às 18 horas, no Departamento Técnico, no estádio de São Januário, munidos de provas de suas habilitações e de documentos de sua idoneidade moral e profissional, mediante contrato nas seguintes bases:

a) prazo do contrato: 15 de julho de 1946 a 31 de dezembro de 1947;b) luvas de Cr$ 45.000,00;
c) ordenado de Cr$ 3.000,00;
d) prêmios por vitórias ou empates iguais aos estabelecidos para os jogadores, nas divisões principal, imediata e aspirantes;
e) prêmio de Cr$ 20.000,00 pela conquista do Campeonato da Divisão Principal.

O Club de Regatas Vasco da Gama se reserva o direito, não só de não aproveitar qualquer dos pretendentes, mas ainda o de escolher livremente entre os candidatos aquele que, a seu exclusivo juízo, for considerado o mais indicado".

Sá Pinto chega amanhã

Após ser anunciado pelo Vasco, o técnico Ricardo Sá Pinto é aguardado amanhã (15) no Rio de Janeiro, onde assinará contrato até o fim do Campeonato Brasileiro. Aos 48 anos, ele é ex-jogador e ídolo do Sporting (POR) e está com sua carreira de treinador ainda em construção. Ano passado, comandou o Braga (POR).

O português chega ao Cruz-maltino com o auxiliar Rui Mota, o preparador físico João Moreira e o analista de desempenho Igor Dias.

Fonte: UOL Esporte