Remo: Fabiana Beltrame, do Vasco, sonha com ouro no Pan do Rio

11/04/2007 às 10h00 - OUTROS ESPORTES

Nos Jogos Pan-Americanos de 1987, em Indianápolis (EUA), dois irmãos entraram para a história ao obter o bicampeonato para o remo brasileiro na categoria doissem masculino. Ronaldo de Carvalho e Ricardo de Carvalho conquistaram o ouro pela segunda vez consecutiva, já que haviam sido campeões na mesma categoria no Pan de 1983, em Caracas (VEN), mas as vitórias brasileiras no remo em PanAmericanos pararam por aí.

Nos últimos quatro Jogos (1991, 1995, 1999 e 2003), nenhum atleta conquistou a medalha de ouro pelo Brasil no Remo. Os representantes do país no Pan do Rio esperam que o jejum acabe este ano.

A catarinense Fabiana Beltrame, uma das integrantes do barco brasileiro na categoria four skiff feminino pesado, deixou claro que ela e suas companheiras têm condições de almejar o ouro.

- Estamos trabalhando duro visando à preparação para este Pan. Claro que não posso garantir que conquistaremos o ouro, mas tenho certeza de que temos potencial para chegarmos ao título - explicou.

Beltrame ainda sonha entrar para a história. Se ela, Mônica Anversa, Renata Gorgen e Kissia Cataldo conquistarem o ouro na categoria four skiff feminino pesado, se tornarão as primeiras mulheres a conquistarem um título pelo remo brasileiro num Pan-Americano.


Conselhos de quem entende

Ronaldo de Carvalho não esquece até hoje de suas conquistas em Pan-Americanos e dá dicas para que os representantes do Brasil no remo conquistem a tão esperada medalha de ouro no Pan do Rio.

- Sou amigo de todos os dirigentes da Confederação Brasileira de Remo (CBR) e garanto que o trabalho visando ao Pan está sendo bem feito. Para vencer, os atletas de manter sempre a confiança e o foco - explicou.

Ronaldo ainda disse que um atleta nunca pode desistir. E deu um exemplo. No Pan de 1983, ele e o irmão não fizeram bons tempos nas eliminatórias e nas semifinais, mas na final obtiveram o título nos últimos 100m - antes disso estavam em terceiro lugar.

Categorias

Oito com (masculino e feminino) pesado: oito remadores cada um com um remo. O termo \"com\" mostra que há um timoneiro. Não há limite de peso.

Quatro sem masculino pesado: Quatro remadores, cada um com um remo. O termo \"sem\" mostra que não há timoneiro. Não há limite de peso.

Quatro sem masculino peso leve: O mesmo regulamento do pesado, mas com uma diferença. O barco tem de ter média de peso de até 70 kg.

Double skiff (masculino e feminino) pesado: Dois remadores, cada um com dois remos. Não há limite de peso.

Double skiff feminino peso leve: As regras são as mesmas do pesado, mas o barco tem de ter média de peso de até 57 kg.

Double skiff masculino peso leve: As regras são as mesmas do pesado, mas o barco tem de ter média de peso de até 70 kg.

Dois sem (masculino e feminino) pesado: Dois remadores, cada um com um remo. Não há limite de peso.

Four skiff (masculino e feminino) pesado: Quatro remadores, cada um com dois remos. Não há limite de peso.

Single skiff (masculino e feminino) pesado: Um atleta com dois remos. Não há limite de peso.

Brasileiros

A maior parte das vagas para os Jogos Pan-Americanos já foram conquistadas por alguns atletas. A Confederação Brasileira de Remo (CBR), porém, faz questão de deixar claro que ainda vai decidir quais serão as formações dos barcos que representarão o Brasil nos Jogos do Rio de Janeiro. Algumas formações são vistas como certas, mas não são confirmadas.

Histórico

Remo: Disputado desde o primeiro Pan, em Buenos Aires (1951)

Brasil no Pan: São 37 medalhas: oito de ouro - 3 (71), 2 (75), 1 (79), 1 (83) e 1 (87) -, 17 de prata - 2 (51), 1 (59), 4 (63), 1(71), 1 (79), 1 (83), 1(87), 1 (95), 1 (99) e 4 (2003) - e 12 de bronze - 1 (59), 2 (63), 1 (67), 1 (75), 1 (79), 1 (87), 2 (91), 1 (95) e 2 (2003).

Programação

Datas: As provas de remo no PanAmericano acontecerão de 14 e 19 de julho.

Local: A disputa será na Lagoa Rodrigo de Freitas.

Público: Os torcedores não pagarão para assistir às provas, já que a Lagoa é aberta ao público.

Fonte: Lance