Retrospecto do Vasco contra times do ES é ruim: apenas uma vitória

19/02/2019 às 21h26 - FUTEBOL

O estádio Kleber Andrade vai receber um duelo nunca antes visto no futebol brasileiro. Desde que o Serra passou a disputar competições profissionais, em 1997, essa será a primeira vez que a equipe capixaba enfrentará o Vasco da Gama. A partida ocorre nesta quarta-feira, às 21h30, em Cariacica, pela segunda fase da Copa do Brasil.

De acordo com um levantamento feito pelo GloboEsporte.com, o Gigante da Colina já enfrentou clubes capixabas, em competições oficiais, cinco vezes. E o retrospecto é favorável às equipes do Espírito Santo, que venceram duas vezes, perderam uma e empataram nas outras duas ocasiões.

O primeiro dos cinco jogos ocorreu em 1973, quando a Desportiva Ferroviária recebeu o Vasco no Engenheiro Araripe, pela quarta rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro. Os cariocas eram comandados por um jovem Roberto Dinamite, enquanto que a Tiva tinha como destaque o folclórico Fio Maravilha. O grande personagem desse encontro, porém, vencido pelo Gigante da Colina, por 1 a 0, foi o meia Zanata, autor do único gol do jogo.

Os dois clubes voltaram a se enfrentar no ano seguinte, novamente pela primeira fase do Campeonato Brasileiro e, também, no estádio Engenheiro Araripe. O time do Vasco, que posteriormente viria a conquistar o primeiro título nacional da sua história, era praticamente o mesmo do ano anterior. No final, quem foi ao Araripe com a expectativa de ver gols, acabou vendo um 0 a 0.

Vitória capa-preta e recorde de público

Após enfrentar a Desportiva em dois anos consecutivos, o Vasco voltou a duelar com uma equipe capixaba no Campeonato Brasileiro de 1986. O adversário em questão era o Rio Branco-ES. O primeiro enfrentamento ocorreu na sétima rodada da primeira fase da competição, no estádio Kleber Andrade.

A equipe capixaba era formada em sua grande maioria por jogadores vindo do interior de São Paulo. Já experiente e consolidado como um dos grandes nomes da história cruz-maltina, Roberto Dinamite continuava como o grande destaque do Vasco, agora auxiliado por craques do quilate de Romário, Geovani, Mazinho, Mauricinho e Acácio.

Com um gol de Márcio Fernandes, aos 29 minutos do segundo tempo, o Rio Branco-ES venceu, por 1 a 0, na partida que ficou marcada pela primeira vitória de uma equipe capixaba em cima do Vasco. Além disso, outro fato marcante é a respeito do Kleber Andrade, palco da partida desta quarta-feira entre o Gigante da Colina e Serra: ao todo, 40 mil pessoas presenciaram o triunfo capa-preta, recorde de público do estádio.

Um dos destaques do Rio Branco-ES no Campeonato Brasileiro de 1986, China relembrou a atmosfera que cercou aquela partida contra o Vasco.

- O estádio estava superlotado, e foi algo maravilhoso, a torcida invadiu o Kleber Andrade. Tinha torcida do Vasco, mas a torcida capixaba abraçou o Rio Branco, porque viu que fazíamos um trabalho sério.

Os dois clubes se classificaram para a fase seguinte e novamente se encontraram. Dessa vez a partida foi disputada na casa dos cariocas, em São Januário. O vencedor, entretanto, não mudou. O Rio Branco-ES abriu o placar aos 22 minutos do segundo tempo com Jones. Três minutos depois Edson Carioca ampliou. Juninho Fonseca descontou aos 31 minutos e deu números finais ao jogo.

O quinto e último duelo do Vasco contra clubes capixabas em competições oficiais foi realizado no mesmo palco do primeiro confronto, o estádio Engenheiro Araripe. Pelo returno da segunda fase, o Rio Branco-ES abriu o placar com Jorge Mendonça, aos 30 minutos do primeiro tempo. Mas aos 38, Romário deixou tudo igual e evitou a derrota cruz-maltina.

Presente nos três duelos contra o Rio Branco-ES, o capixaba Geovani, que apesar de vascaíno declarou a sua torcida para o Serra no confronto desta quarta-feira, confessou que os grandes nomes daquela equipe do Vasco respeitavam os times capixabas.

- Eles (os craques do Vasco) viam com respeito, porque sabiam que iria ser difícil. Nós perdemos duas (partidas). Eu, Romário, Roberto (Dinamite)... olha os jogadores que jogavam no Vasco, e o Rio Branco venceu no Espírito Santo e no Rio de Janeiro. Viemos aqui, tomamos sacode, eles foram ao Rio, nos deram sacode.

Receita para o Serra

De acordo com o ex-jogador China, o Serra precisa adotar a mesma postura que o grupo do Rio Branco-ES de 1986: entrar em campo sem ter medo do Vasco.

- O Serra não tem que temer o Vasco, eles têm que respeitar o Vasco. E jogar de forma corajosa, porque sempre lembro de uma frase do Evaristo de Macedo, quando me treinou no Grêmio: “o meu medo de vencer me faz perder”, então o Serra não pode ficar o tempo todo se defendendo, porque uma hora, por conta da qualidade dos jogadores do Vasco, vai acabar tomando um gol e isso fica mais difícil.

Diferente do confronto de 33 anos atrás, a torcida do Vasco terá a ampla maioria nas arquibancadas do Kleber Andrade. Para China, o estímulo que vem dos torcedores impulsiona os atletas dentro de campo. Ele vê um confronto muito complicado para o Serra, mas acredita que os capixabas têm chances de sair com a classificação.

- A torcida tem um peso muito grande nisso, porque ela faz o jogador jogar. Como capixaba e por ter jogado no Serra, eu vou torcer para o Serra, o Vasco já tem o seu nome marcado na história do futebol brasileiro e mundial. Mas sabemos que será muito difícil, o Vasco vem de um título de Taça Guanabara sobre o Fluminense, então será uma dificuldade muito grande. Mas nada é impossível, não custa nada sonhar - finalizou.

Lista de jogos entre Vasco x clubes capixabas

Desportiva 0 x 1 Vasco - Campeonato Brasileiro 1973
Desportiva 0 x 0 Vasco - Campeonato Brasileiro 1974
Rio Branco 1 x 0 Vasco - Campeonato Brasileiro 1986
Vasco 1 x 2 Rio Branco - Campeonato Brasileiro 1986
Rio Branco 1 x 1 Vasco - Campeonato Brasileiro 1986

Copa do Brasil 2019

Serra e Vasco se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h30, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica, pela segunda fase da competição nacional. O GloboEsporte.com acompanha a partida em Tempo Real.

Fonte: Vasco Notícias