Sá Pinto vai resolver os problemas do Vasco? Veja os trabalhos anteriores

14/10/2020 às 08h16 - FUTEBOL

O lado explosivo e polêmico de Ricardo Sá Pinto, técnico que está próximo de ser anunciado como novo comandante do Vasco, já não é novidade para nenhum torcedor. Desde que começaram as negociações, a ficha corrida do treinador de 48 anos veio à tona, revelando um temperamento um tanto quanto complicado.

Deixando o histórico de agressões de lado, vamos tratar do que interessa. Afinal de contas, Ricardo Sá Pinto, que chega ao Rio nesta quinta-feira, vai resolver os problemas do Vasco? O Esporte News Mundo foi atrás dos trabalhos anteriores do treinador, que chega ao seu 10º clube na carreira, o 7º fora de Portugal.

Os números mostram que Ricardo Sá Pinto não costuma criar raízes. Em apenas um clube o treinador conseguiu começar e terminar a temporada. Outro ponto que chamou a atenção é de que o técnico costuma se sair bem em competições mata-mata. O lado negativo fica por conta do sistema defensivo. Em apenas dois trabalhos, o time teve média de gols sofridos inferior a um por partida.

Sporting Braga: 30 jogos / 18 vitórias / 5 empates / 7 derrotas / 55 gols marcados / 36 gols sofridos

O último trabalho de Ricardo Sá Pinto foi no Sporting Braga, de Portugal. O treinador ficou por todo o segundo semestre de 2019, mas deixou o clube por desentendimentos com o presidente. Ao todo foram 30 jogos com um aproveitamento de 65,5%. No período, comandou a equipe em quatro competições:

Campeonato Português: Dirigiu o Braga em 14 rodadas, obtendo 5 vitórias, 3 empates e 6 derrotas, com o time marcando 16 gols e sofrendo 17. Deixou a equipe na 10ª posição com 18 pontos, campanha semelhante ao de seu antecessor Ramon Menezes, que foi demitido do Vasco depois de 13 partidas no Brasileirão, tendo conquistado a mesma pontuação e o mesmo saldo de gols. O Braga terminou a competição na 3ª colocação, atrás dos gigantes Porto e Benfica.

Taça da Liga: Caso não deixasse o clube, Ricardo Sá Pinto poderia ter conquistado o seu segundo título na carreira. Isso porque o Braga foi campeão da competição. Ele deixou o time classificado para as semifinais com 100% de aproveitamento na fase de grupos somando 3 vitórias em 3 jogos, com 9 gols marcados e três sofridos.

Taça de Portugal: Não foi páreo para o Benfica e acabou eliminado nas oitavas de final, após perder por 2 a 1 no Estádio da Luz. A classificação foi decidida em jogo único. Antes, havia avançado em duas fases eliminatórias, com duas vitórias.

Europa League: Na competição internacional conseguiu o maior destaque sob o comando do Braga. O treinador classificou o time para as 16 avos de final de forma invicta. Na fase de grupos, enfrentou Wolverhampton, da Inglaterra, Slovan Bratislava, da Eslováquia, e o Besiktas, da Turquia, e obteve quatro vitórias e dois empates. Antes, o time português avançou em duas fases classificatórias, ao eliminar o Brondby, da Dinamarca, e o Spartak Moscou, da Rússia, vencendo ambas as equipes dentro e fora de casa.

Obs: Trabalhar no Brasil não vai chegar a ser uma novidade para Ricardo Sá Pinto, tendo em vista que o treinador está bastante acostumado com jogadores brasileiros. No Braga ele conviveu com 11 atletas, um time inteiro de brazucas.

São eles, o goleiro Matheus Magalhães (ex-América-MG), o lateral-direito Vítor Tormena (ex-São Paulo), os zagueiros Bruno Viana (ex-Cruzeiro), Wallace (ex-Cruzeiro e atualmente no Yeni Malatyaspor, da Turquia), Lucas Cunha (atualmente no Celta de Vigo, da Espanha), Pablo Santos (ex-Paysandu e hoje no Hatayspor, da Turquia), o lateral-esquerdo Cajú (ex-Santos e atualmente no Goiás), os meias Claudemir (ex-base do Palmeiras e atualmente no Sivasspor, da Turquia), Fransérgio (ex-Athlético-PR e Internacional) e os atacantes Wenderson Galeno (ex-Grêmio Anápolis) e Murilo Souza (ex-Internacional e Botafogo, atualmente no Mallorca, da Espanha).

Outros trabalhos:

Légia Varsóvia: 28 jogos / 15 vitórias / 7 empates / 6 derrotas / 42 gols marcados / 29 gols sofridos

Assumiu o comando do time com a temporada 2018/2019 já em andamento. Não conseguiu reverter o resultado na fase de qualificação da Europa League. Deixou a equipe antes de terminar o Campeonato Polonês, competição que o Légia Varsóvia terminou na vice-liderança.

Standard de Liège: 45 jogos / 21 vitórias / 14 empates / 10 derrotas / 74 gols marcados / 56 gols sofridos

Na equipe belga conseguiu o único título em sua carreira de treinador, ao conquistar a Taça da Bélgica, na temporada 2017/2018. No Campeonato Nacional, foi vice-campeão. Comandou o time durante toda a temporada, trabalho mais longo na carreira. No Standard de Liège Ricardo Sá Pinto trabalhou com o volante do Vasco, Carlinhos.

Atromitos: 32 jogos / 10 vitórias / 11 empates / 11 derrotas / 28 gols marcados / 29 gols sofridos

Comandou a equipe grega em duas oportunidades. A primeira passagem foi de setembro de 2014 até fevereiro de 2015. Retornou ao clube dois anos depois e ficou um pouco mais de quatro meses.

Al-Fateh: 5 jogos / 1 vitória / 1 empate / 3 derrotas / 5 gols marcados / 9 gols sofridos

Na Arábia Saudita, Ricardo Sá Pinto teve a sua passagem mais curta, ficando menos de 3 meses no cargo, ficando de julho até setembro de 2016.

Belenenses: 26 jogos / 8 vitórias / 8 empates / 10 derrotas / 25 gols marcados / 42 gols sofridos

Em seu segundo trabalho em Portugal (segundo semestre de 2015), Ricardo Sá Pinto conseguiu levar a equipe até a fase de grupos da Europa League. No entanto, ao não avançar para as 16 avos de final, acabou sendo demitido pela campanha ruim do time, que ficou 6 jogos sem vencer, contando Campeonato Português e eliminação na Taça de Portugal.

OFI Creta: 34 jogos / 15 vitórias / 7 empates / 12 derrotas / 35 gols marcados / 39 gols sofridos

Antes de comandar o Atromitos, o treinador viveu a sua primeira experiência no futebol grego na temporada 2013/2014, realizando o seu segundo trabalho mais duradouro. Terminou na 6ª colocação no campeonato nacional e levou o time até a semifinal da Copa da Grécia. Dudu Cearense, ex-Botafogo e Internacional, era o seu titular absoluto.

Estrela Vermelha: 11 jogos / 8 vitórias / 3 derrotas / 17 gols marcados / 9 gols sofridos

Na Sérvia, fez o segundo trabalho mais curto da carreira, ficando no cargo por pouco mais de três meses. Ricardo Sá Pinto chegou na reta final da temporada 2012/2013, com o time na vice-liderança. Mesmo empilhando oito vitórias consecutivas, a equipe se manteve na 2ª posição. Faltando três rodadas para o fim do campeonato local, o Estrela Vermelha perdeu força, não pontuou e o Partizan foi o campeão. No clube sérvio, comandou o meia Evandro, ex-Santos e Athletico-PR, atualmente na Chapecoense.

Sporting: 30 jogos / 15 vitórias / 7 empates / 8 derrotas / 41 gols marcados / 31 gols sofridos

Treinador da equipe sub-19, Ricardo Sá Pinto teve a primeira oportunidade na reta final da temporada 2011/2012, após Domingos Paciência ter sido demitido. O jovem técnico não decepcionou e levou o time até a semifinal da Europa League, deixando pelo caminho Légia Varsóvia (POL), Manchester City (ING) e Metalist (UCR). Acabou sendo eliminado para o Athletic de Bilbao (ESP).

No Campeonato Português, assumiu o Sporting na 6ª colocação e terminou uma posição a frente. O ano de estreia poderia ter sido melhor se não fosse o vice para o Académica de Coimbra, na Taça de Portugal. No clube português trabalhou com o volante Elias, atualmente no Bahia, e com o ex-zagueiro pentacampeão do mundo em 2002, Anderson Polga.

Fonte: Esporte News Mundo