Se for para os pênaltis? Martín e Gatito dão segurança às torcidas na final

08/04/2018 às 13h33 - FUTEBOL

Uma final de campeonato deixa os nervos à flor da pele. Quando o título é decidido em uma disputa por pênaltis, então, não é para qualquer um. Tensão, unhas roídas, suor escorrendo frio pela nuca, olhos muitas vezes que preferem se fechar... Haja coração, como diria Galvão Bueno. Mas se a decisão do Carioca deste domingo for para a marca da cal, teoricamente as torcidas de Vasco e Botafogo terão motivos para não sofrerem tanto.

De um lado, Gatito Fernández. Paraguaio do Botafogo que se especializou em pegar pênaltis e terminou a temporada passada com o melhor aproveitamento no Brasil: oito defesas em 14 cobranças. Do outro, Martín Silva. Uruguaio do Vasco que também tem bom retrospecto no duelo dos 11 metros com os batedores e virou herói na classificação do time para a fase de grupos da atual Libertadores, com três cobranças defendidas. Únicos goleiros estrangeiros na elite do futebol brasileiro, eles são hoje dois dos gringos de mais destaque em ação no país.

Para os dois medirem forças na marca da cal, o único placar possível neste domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, é uma vitória do Botafogo por um gol de diferença – uma vez que o Vasco ganhou por 3 a 2 no jogo de ida, no Nilton Santos, e não há critério do gol qualificado fora de casa no regulamento. Para tranquilizar ainda mais as torcidas em caso de pênaltis, o GloboEsporte.com levantou o desempenho dos gringos desde que chegaram ao país em 2014.

MARTÍN SILVA

Titular do Vasco há quatro anos, Martín Silva começou a mostrar seu potencial nos pênaltis em 2015, quando pegou a cobrança de Ricardo Oliveira, então atacante do Santos, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. De lá para cá, foram mais 29 cobranças e mais seis defesas. Nesta temporada, em três meses o goleiro já igualou 2016, ano em que salvou mais cobranças: três. Coincidentemente, todas as defesas do vascaíno foram fora de casa.

Cobranças totais: 30
Defesas: 7 (veja no vídeo acima)
Ricardo Oliveira (Santos x Vasco)
Diego (CRB x Vasco)
William (Avaí x Vasco)
Roberto (Criciúma x Vasco)
Lucas Gaúcho (Jorge Wilstermann x Vasco)
Meleán (Jorge Wilstermann x Vasco)
Alex Silva (Jorge Wilstermann x Vasco)
Aproveitamento: 23,3%

GATITO FERNÁNDEZ

Gatito não está no Botafogo há tanto tempo assim. Chegou no início de 2017 após passagens por Vitória e Figueirense desde julho de 2014, mas já tem encaminhada uma renovação por mais três anos. Foi justamente no Alvinegro carioca em que teve seu maior destaque, sendo herói também na classificação do time para a fase de grupos da Libertadores do ano passado, e onde aprimorou sua técnico nos pênaltis, defendendo oito cobranças. Antes disso, só havia defendido duas.

Cobranças totais: 22
Defesas: 10 (veja no vídeo acima)
Cueva (São Paulo x Figueirense)
Leandro Damião (Flamengo x Figueirense)
Richard Ortiz (Olimpia x Botafogo)
Jorge Mendoza (Olimpia x Botafogo)
Julián Benítez (Olimpia x Botafogo)
Diego Souza (Botafogo x Sport)
Jô (Corinthians x Botafogo)
Cueva (Botafogo x São Paulo)
Marcelo Oliveira (Botafogo x Grêmio)
Thiago Carleto (Coritiba x Botafogo)
Aproveitamento: 45,4%

Quantas vezes o Carioca foi decidido nos pênaltis?

Só em duas oportunidades, ambas envolvendo Botafogo e Flamengo: em 2007 e 2009, com o Rubro-Negro levando a melhor após empates por 2 a 2 nas finais no tempo normal. Já Vasco e Botafogo protagonizaram apenas uma disputa de pênaltis na história em competições oficiais: foi na semifinal da Taça Rio de 2007, que terminou empatada por 4 a 4, e o Alvinegro superou o Cruz-Maltino na marca da cal.

Foto: Globo EsporteMartín Silva e Gatito
Martín Silva e Gatito

Fonte: GloboEsporte.com

Enquete

Qual a culpa dos problemas políticos do Vasco na campanha do clube no Brasileiro?

Deixe seu comentario