Seleção de 50 teve como base Expresso da Vitória do Vasco

21/06/2018 às 21h56 - FUTEBOL

Dando prosseguimento ao quadro "O Vasco na Copa", o Site Oficial traz nesta quinta-feira (21/06) um pouco sobre o desempenho de jogadores vascaínos nos Mundiais de 1950 e 1954. É importante lembrar que a Segunda Guerra Mundial impediu a realização das Copas de 1942 e 1946. O Brasil e a Suíça, respectivamente, foram os países que sediaram a maior competição de futebol. Organizando pela primeira vez um torneio dessa magnitude, o Brasil queria fazer bonito e transformar o acontecimento em algo esplendoroso. Para isso, o governo brasileiro resolveu presentear o esporte com um belo estádio. Inaugurado em junho de 1950, alguns dias antes do início da Copa, o Maracanã passou a ser na época o maior palco de futebol do mundo. Para a festa ficar completa era necessário que a Seleção também fizesse bonito dentro das quatro linhas.

A Confederação Brasileira de Desportos (CBD) decidiu apostar na base da única equipe campeã Sul-Americana. Conhecido como "Expresso da Vitória", o Vasco, que se sagrou campeão do continente em 1948, possuía seis jogadores na habitual formação titular do time brasileiro: Barbosa, Augusto, Danilo, Maneca, Ademir e Chico. Outros dois atletas cruzmaltinos, Ely e Alfredo II, foram reservas durante o Mundial. Outros dois do elenco, Friaça e Jair, defendiam outros clubes na época, mas também chegaram a fazer parte do Expresso. O treinador da Seleção era nada mais, nada menos que Flávio Costa, também comandante do Gigante da Colina.

Na Copa de 50, a estrutura para apuração dos finalistas foi bem diferente da que temos em 2018. As seleções nacionais foram divididas em 4 grupos, dos quais os primeiros colocados disputariam, entre si, a fase final. A Seleção Brasileira, nos 2 primeiros jogos da etapa derradeira, empolgou a todos, chegando ao dia 16 de julho com a vantagem do empate, mas apesar de ter saído na frente do marcador, o Brasil acabou sofrendo a virada e perdeu para o Uruguai pelo placar de 2 a 1. O grande destaque cruzmaltino na Copa de 1950 foi o atacante Ademir de Menezes, o "Queixada". O talentoso homem de frente foi o artilheiro do campeonato com oito gols. Com quatro tentos anotados, o também vascaíno Chico foi o segundo maior goleador brasileiro no Mundial.

Na Copa seguinte, em 1954, o Vasco só foi representado por três jogadores: Paulinho, Ely e Pinga. Quem teve maior destaque foi o último. O atacante foi utilizado em duas partidas e conseguiu anotar dois gols. Ely e Paulinho não chegaram a entrar em campo no Mundial. A Seleção Brasileira acabou sendo eliminada nas quartas de finais do mesmo. 

Vasco possui recordes na história da Seleção Brasileira por conta da Copa de 1950

Na Copa de 1950, os jogadores vascaínos Ademir, Alfredo II, Chico e Maneca foram responsáveis por 14 dos 22 gols do Brasil na competição. O artilheiro Ademir de Menezes é um dos jogadores que mais marcou gols pela Seleção Canarinho numa única edição de Copa do Mundo. O outro atleta é Ronaldo, que também anotou oito tentos no Mundial de 2002.

A maior goleada da Seleção Brasileira em Copas do Mundo aconteceu no Mundial de 1950. O detalhe é que todos os sete gols do Brasil na goleada de 7 a 1 sobre a Suécia foram marcados por jogadores do Vasco: Ademir (4), Chico (2), Maneca (1). A partida foi realizada no dia 9 de julho, no Estádio Maracanã. O Gigante da Colina segue sendo até hoje o clube com mais jogadores atuando pelo Brasil num único jogo de Copa do Mundo. Em três jogos da Copa do Mundo de 1950, seis dos 11 titulares da Seleção eram do Vasco.

Desempenho dos vascaínos na Copa de 1950: Barbosa (titular nos seis jogos), Augusto (titular nos seis jogos), Danilo (titular em cinco jogos), Maneca (titular em quatro jogos; marcou 1 gol), Chico (titular em quatro jogos; marcou 4 gols), Ademir (titular nos seis jogos; marcou 8 gols), Alfredo (titular em apenas um jogo; marcou 1 gol) e Ely (titular em apenas um jogo). 

Desempenho dos vascaínos na Copa de 1954: Paulinho (não jogou), Ely (não jogou) e Pinga (titular em dois jogos; marcou 2 gols). 

Fonte: Site oficial do Vasco

Enquete

Você é favorável ao retorno de Antônio Lopes no cargo de dirigente?

Deixe seu comentario