Sem resposta da CBF, Eurico ameaça ir à Justiça Comum por causa de clássicos

19/04/2006 às 19h34 - FUTEBOL

O Campeonato Brasileiro pode ter seu primeiro caso nos tribunais. Nesta quarta-feira, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, convocou entrevista coletiva para anunciar que irá acionar a Justiça Comum, caso a CBF não reconheça, até esta quinta, o direito da sua equipe jogar os clássicos cariocas em que tem o mando de campo no estádio de São Januário.

Ao receber a tabela do Brasileirão e perceber que a CBF marcou todos os clássicos para o Maracanã, o mandatário vascaíno recorreu à Justiça Desportiva para mudar os locais dos jogos para o seu estádio. Entretanto, segundo Eurico Miranda o prazo para a definição se encerra nesta quinta-feira e até agora nada foi decidido.

\"O Vasco buscou a esfera esportiva, mas não teve nenhuma decisão. Esgotadas as possibilidades, iremos buscar o nosso direito na Justiça Comum. O Vasco não quer benefício algum, apenas que se cumpra o regulamento\", anunciou o presidente vascaíno, garantindo que São Januário tem plenas condições de receber jogos contra Flamengo, Fluminense e Botafogo.

\"O regulamento é claro e diz que cada clube joga metade das partidas com mando de campo. Possuindo um estádio com capacidade mínima de 15 mil espectadores, pode usá-lo. Tenho todas as garantias e alvarás de segurança para usar São Januário\", argumentou.

Eurico Miranda lançou mão de exemplos do Brasil e do exterior para justificar o seu pensamento. Disse que o Santos recebe na Vila Belmiro os clássicos contra os grandes clubes de São Paulo e que o Barcelona disputa jogos contra o Espanyol (equipe da mesma cidade) fora do seu estádio, o Camp Nou.

No ano passado, o Vasco realizou em São Januário os jogos contra os times cariocas em que tinha o mando de campo e venceu todos. Contra o Flamengo venceu por 2 a 1, enquanto o triunfo sobre o Fluminense foi com 2 a 0 no placar.

Contra o Botafogo, o Vasco perdeu o jogo por 1 a 0, mas a partida foi anulada devido ao escândalo da arbitragem, que teve o ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho como pivô. No jogo remarcado, vitória vascaína por 1 a 0.

Fonte: Pelé.Net