Sindicato de atletas apoia resposta de Castan a Witzel

14/03/2020 às 11h07 - CLUBE

Durante coletiva concedida no Palácio Guanabara para tratar de recomendações na prevenção contra o novo coronavírus, na sexta-feira, o governador Wilson Witzel foi questionado por que as autoridades não optaram pela paralisação do Campeonato Carioca. A resposta foi a seguinte:

- Serão com portões fechados, não tem aglomeração. O contato é entre os jogadores, e aí é o risco deles.

- Risco é nosso, grande resposta, grande governador, obrigado pelo respeito com os atletas.

O Sindicato dos Atletas de Futebol do Rio de Janeiro declarou apoio à resposta de Castan a Witzel. Em contato com o GloboEsporte.com, o presidente da Saferj, Alfredo Sampaio, lamentou a declaração do governador e revelou que os jogadores esperam uma retratação.

- O Saferj apoia integralmente a posição do Castan. Acho que realmente o governador teve uma fala infeliz. Infeliz e injustificável porque colocou os atletas como se fossem um grupo à parte do problema da população.

- O Castan tem toda a razão na resposta, e a gente tem a expectativa de que o governador faça uma retratação e explique a fala que ele reproduziu. Realmente foi muito infeliz na declaração dele.

Em nota divulgada pelo repórter Nelson Lima Neto na coluna de Ancelmo Gois, de "O Globo", o Saferj anunciou que pedirá a paralisação do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil na próxima semana. Alfredo Sampaio revelou que os atletas estão muito preocupados com suas respectivas famílias. Além disso, destacou que o trânsito constante em hotéis, aeroportos e aviões é um tema que o sindicato levará à CBF e à Ferj.

Confira o restante da entrevista abaixo:

Conversa com Ferj e CBF
Na realidade ontem (sexta) mandei mensagem para o Rubens Lopes (presidente da Ferj) e para o Walter Feldman (secretário-geral da CBF) para que pudéssemos tratar disso. Com certeza vamos falar e pedir que a competição seja paralisada.

Os jogadores têm uma preocupação muito grande com o trânsito em hotel, aeroporto e avião. Isso atinge mais os jogos da Copa do Brasil. O estadual naturalmente já sem o público já ajuda um pouco, mas também há um certo trânsito em hotel e concentração. É essa preocupação que vou levar a eles e, num primeiro momento, solicitar que as competições sejam paralisadas pelo menos por 10 dias ou por um período a ser definido para que a gente veja como fica o cenário.

Impacto no Carioca
O Campeonato Carioca acaba tendo possivelmente um desdobramento muito ruim porque não há datas, mas nós vamos defender a tranquilidade dos jogadores em relação ao vírus. A gente sabe que eles, por serem atletas, jovens e saudáveis, a margem de risco é baixa, mas não estão imunes.

Papo com os capitães de Botafogo (Carli), Flamengo (Everton Ribeiro), Fluminense (Digão) e Leandro Castan (Vasco)
A preocupação deles na realidade não é só com eles, mas principalmente com as famílias. Ontem (sexta), no final do dia, nós conversamos com os capitães, e todos eles externaram essa preocupação. Então vou passar o dia de hoje atrás do Rubens Lopes e do Feldman para a gente tomar alguma decisão conjunta pelo menos para a próxima semana.

Algo chamou atenção do senhor na conversa com os capitães, principalmente em relação à declaração infeliz do governador?

O que me chamou atenção foi a preocupação real dos jogadores. A surpresa da fala do governador. Ele adora futebol, vive nos estádios com a camisa do Flamengo. Foi uma surpresa desagradável. Até então nunca tinha visto uma posição equivocada dele sobre futebol, e essa realmente foi. E isso motivou mais ainda nossa disposição para tentar suspender as partidas, e o Castan foi muito feliz. Realmente não cabia o que ele falou. Foi uma surpresa bem desagradável.

Fonte: GloboEsporte.com