Sorato escolhe como seu jogo inesquecível pelo Vasco

08/05/2020 às 12h52 - FUTEBOL

Quem pensa em Sorato e Vasco logo lembra do Brasileiro de 89. E o personagem da série de jogos inesquecíveis que ex-jogadores estão escolhendo aqui no Site Oficial não fugiu do senso comum. Em bate-papo, Sorato escolheu aquela vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo, que deu o bicampeonato nacional ao Cruzmaltino, onde ele marcou o gol do título após o cruzmento de Luis Carlos Winck naquele 16 de dezembro.

- Meu jogo inesquecível é a final do Campeonato Brasileiro de 1989. Esse jogo, realmente, não tem como esquecer. É histórico. É um jogo que, 30 anos depois, nesse momento em que estamos passando, tenho feito algumas lives e falado dele e visto o gol quase que diariamente. É um jogo inesquecível. O mais importante da minha carreira. Marcar o nome na história de um clube como o Vasco não tem como esquecer - conta Sorato, que também relembra como foram os dias e momentos que antecederam aquela decisão:

- Lembro quando garantimos a vaga na final. São dias de bastante ansiedade, mas tudo muito bem controlado. Todos estavam confiantes. O time estava no auge, chegamos muito bem naquela reta final. Queríamos que chegasse logo o dia para poder mostrar essa confiança. Nós vencemos dois jogos fora de casa, a confiança estava lá em cima. Era uma ansiedade boa. Estavam todos focados e motivados para o jogo.

Aquele time era chamado de "SeleVasco", por contar com vários jogadores que tinham passagem pela Seleção Brasileira. O elenco contava com nomes como Acácio, Luís Carlos Winck, Mazinho, Bismarck e Bebeto, por exemplo. E quem decidiu aquele jogo foi Sorato, então garoto de 20 anos, que surgia com uma estrela muito forte, marcando gols decisivos naquele início de carreira. Mas o cara daquele jogo divide os méritos e lembra da pressão do São Paulo, que também possuía um grande elenco, com nomes como Gilmar, Ricardo Rocha, Bobô, Mário Tilico e Raí.

- O jogo foi muito difícil. Sofremos uma pressão muito forte no início e no final do jogo. O Acácio foi fundamental naquele dia. Ele tinha essa característica. Em jogos importantes e decisivos ele crescia e fechava o gol - lembra o ex-atacante, que revela que aquele grupo de 89 mantém o contato até os dias atuais:

- Nós temos um grupo de Whatsapp, nos falamos quase sempre. Tem boa parte do grupo, quase todos estão lá. A relação é boa até hoje. Sempre estamos batendo papo, alguns assuntos que acontecem e a gente conversa.

GOL É COMEMORADO ATÉ HOJE

Sorato brinca que aque aquele gol marcado em 1989 é lembrado até os dias atuais. Muito jovem na época, ele diz que recebe o carinho dos torcedores vascaínos até hoje e que vem fazendo lives com páginas relacionadas ao Vasco quase que diariamente por conta da quarentena:

- O carinho que eu recebo da torcida do Vasco até hoje é impressionante. Até me emociona, depois de tanto tempo, ser lembrado e tratado com tanto carinho é especial. Costumo dizer que esse carinho que recebo até hoje é muito maior que a alegria do momento do gol. Sou muito grato a torcida do Vasco, pelo próprio Vasco, a maneira como sou tratado pelo clube. Pra mim é sempre motivo de alegria. Nesse período de quarentena tenho feito várias lives com vascaínos e pra mim sempre é um prazer relembrar um momento importante na história do clube e na vida dos vascaínos. 

FICHA TÉCNICA

São Paulo 0 x 1 Vasco da Gama

Campeonato Brasileiro 1989 - Final

Data: 16 de dezembro de 1989

Local: Morumbi, São Paulo (SP) 

Árbitro: Wilson Carlos dos Santos 

Gol: Sorato, 05/2ºT (Vasco)

São Paulo: Gilmar, Netinho, Adílson, Ricardo Rocha, Nelsinho; Flávio, Raí, Bobô; Mário Tilico, Ney e Edivaldo (Paulo César). Treinador: Carlos Alberto Silva.

Vasco da Gama: Acácio, Luís Carlos Winck, Marco Aurélio, Quiñónez, Mazinho; Zé do Carmo, Boiadeiro, Bismarck; Bebeto, Sorato e William. Treinador: Nelsinho Rosa.

Fonte: Site oficial do Vasco