Souza volta a insistir com os árabes para jogar no Vasco neste ano

29/03/2019 às 08h24 - FUTEBOL

Souza está perto de completar um mês de tratamento de uma lesão no púbis nas instalações de São Januário. O volante do Al-Ahli, da Arábia Saudita, tem o desejo de reforçar o Vasco na atual temporada, depois que recuperar a condição de jogo. A estratégia para convencer os árabes é baseada na paciência. O jogador sonha em conseguir um empréstimo até dezembro deste ano e defender o cruz-maltino no Campeonato Brasileiro.

Carlos Leite, representante do volante, é quem tem comandado as conversas com o Al-Ahli. A vontade de Souza é grande e tem sido levada em consideração. Entretanto, os árabes têm resistido à ideia. O investimento na contratação do jogador, que atuava pelo Fenerbahçe, da Turquia, foi considerável, de aproximadamente R$ 56 milhões.

No Vasco, a ordem é esperar. O clube sabe que depende da capacidade de Souza dobrar os dirigentes da Arábia Saudita para ter o reforço. Por enquanto, o que o cruz-maltino tem feito é oferecer toda a infraestrutura necessária para que o prata da casa se recupere do recorrente problema no púbis. Ainda não há uma previsão de quando estará recuperado. Por isso e por não ter sido inscrito nas competições, a tendência é que, seja no Brasil, seja no Oriente Médio, Souza volte a atuar somente no segundo semestre.

Aos 30 anos, Souza é um dos destaques da geração que revelou, de uma só vez, o volante, o meia-atacante Alex Teixeira e o atacante Alan Kardec. Todos eles formados em São Januário e até hoje fortemente identificados com o clube. Philippe Coutinho veio depois e também faz a linha de pratas da casa que gostariam de retornar ao Vasco um dia. Mas são Souza e Alex Teixeira que procuram o clube mais frequentemente e manifestam os planos de voltar à Colina depois que deixarem o futebol do exterior. Sempre que podem, vão a São Januário assistir às partidas da equipe e são ovacionados pelos torcedores.

O presidente Alexandre Campello, que foi médico dos quatro jogadores na época em que subiram para o profissional do Vasco, tenta manter relação próxima com os atletas e seus representantes. Apesar de difícil, o clube sonha em repatriá-los. No caso de Souza, especificamente, a boa relação entre as últimas diretorias vascaínas e o representante Carlos Leite é um ponto que pode favorecer um possível retorno.

Sua despedida do Vasco ocorreu no meio de 2010. Souza estreou nos profissionais em 2008. Depois de ser negociado para o Porto (POR), defendeu Grêmio, São Paulo e o Fenerbahçe, antes de se aventurar no futebol do Oriente Médio.

Enquanto não traz de volta os jogadores formados em São Januário, o Vasco investe no aproveitamento de jovens que podem ser o Souza ou o Alex Teixeira de amanhã. Este ano, Marrony puxa a fila dos garotos oriundos da base. Além dele, Tiago Reis tem tido bom aproveitamento recente. No geral, cerca de oito jogadores vindos de categorias inferiores são relacionados por partida, em média. Outros pratas da casa que se destacam no elenco este ano são o volante Andrey e o meia Lucas Santos. A expectativa é de que tenham o mesmo sucesso da geração de Souza.

Fonte: Agência O Globo