Especulações e Saídas clique aqui

Thiago Galhardo põe ponto final em polêmica com o Vasco

14/08/2019 às 08h21 - FUTEBOL

Um dos grandes destaques da 14ª rodada do Campeonato Brasileiro veio da partida entre Ceará e Chapecoense, que terminou com vitória por 4 a 1 para os cearenses. O meia Thiago Galhardo foi o autor de três gols e liderou o time à boa vitória em casa. Hoje (13), em entrevista ao "Tarde Redonda", do Fox Sports, o jogador falou sobre seus objetivos no clube e supostas alfinetadas que teria dado no Vasco, seu ex-time, após o último jogo.

Galhardo explicou que o primeiro objetivo do Ceará é voltar a disputar a Série A em 2020, e fazer disso um hábito nas próximas temporadas. Pessoalmente, o meia tem como meta bater a marca de Felipe Azevedo, que marcou onze gols pelo time alvinegro na temporada 2011, quando o time foi rebaixado.

"Estou muito feliz no Ceará, fiz gol em clássico, três gols pela primeira vez na carreira. Pretendo recolocar o Ceará em cenário internacional, em uma Copa Sul-Americana, quem sabe em uma pré-Libertadores. Mas, nosso primeiro objetivo é fugir da zona de rebaixamento. Nos últimos vinte anos, é a quarta vez que o Ceará disputa a Série A. Então, é primeiro fazer os 45 pontos, fugir do rebaixamento, e depois disso, a partir dos resultados que temos apresentado, quem sabe buscar esses outros objetivos. [...] E tenho meu objetivo pessoal, que é de superar os 11 gols, que é a maior marca de um artilheiro do Ceará na Série A", declarou.

O jogador do Ceará também falou sobre suas declarações após o jogo contra a Chapecoense, entendidas por muitos como alfinetadas ao Vasco, seu ex-clube. Galhardo disse que não guarda mágoas do time carioca e que foi mal interpretado.

"Eu sou responsável pelo que eu falo, não pelo que as pessoas entendem. Tudo o que eu falo sempre assumi na mídia e nunca tive problema quanto a isso. Eu dei uma entrevista e colocaram que eu alfinetei o Vasco. Pelo contrário, eu sou muito grato à instituição Vasco da Gama, aos torcedores, não tenho mágoa nenhuma, só gratidão. Ali, fez alavancar minha carreira, não só homem, mas como atleta e profissional. Sou grato pelo que eu passei por lá, mas acabou. O que eu posso dizer é que sou responsável pelo que eu falo, mas não pelo que as pessoas entendem ou interpretam", esclareceu.

Fonte: UOL Esporte