Torcedor do Vasco é condenado a 10 anos de prisão por briga em Joinville

07/12/2018 às 08h42 - TORCIDA

O torcedor Leone Mendes da Silva foi condenado nesta quinta-feira pelo Tribunal do Júri a 10 anos de prisão em regime fechado por tentativa de homicídio e incitação à violência em eventos esportivos. Ele se envolveu numa briga generalizada na Arena Joinville, no Norte de Santa Catarina, há cinco anos, durante a partida entre Atlético-PR e Vasco. O réu não foi preso depois do julgamento e poderá recorrer em liberdade.

Leone foi absolvido do crime de dano qualificado contra patrimônio público. O advogado do torcedor, Pedro Wellington da Silva, disse que vai recorrer da decisão para pedir a anulação do júri porque, segundo ele, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) apresentou provas que não eram de conhecimento da defesa.

O acusado foi julgado no fórum da comarca de Joinville. O julgamento tinha sido marcado para 1º de novembro, mas foi adiado, pois o acusado não havia sido localizado a tempo de ser intimado. O júri, então, foi remarcado para a tarde desta quinta.

O réu, torcedor do Vasco da Gama, foi julgado por ter agredido um torcedor do Atlético-PR, em jogo realizado em dezembro de 2013. Leone Mendes da Silva foi sentenciado pelo juiz Gustavo Aracheski a oito anos de prisão por tentativa de homicídio e outros dois por incitação à violência.

Segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), o representante do Ministério Público dispensou as 10 testemunhas previstas durante o julgamento.

Três torcedores do Vasco foram inicialmente denunciados, mas o processo foi dividido porque o MPSC apontou envolvimentos diferentes para cada acusado. O segundo réu recorreu ao TJSC e o terceiro terá audiência de instrução no dia 12 de dezembro.

A briga

Atlético-PR e Vasco jogaram na Arena Joinville porque o estádio do clube paranaense estava em obras para a Copa do Mundo de 2014. No dia da confusão, três torcedores do Vasco, inclusive Leone, foram presos em flagrante por tentativa de homicídio. As prisões foram convertidas em preventivas no dia seguinte.

Em março de 2014, Leone e outro torcedor foram soltos por decisão judicial.

As cenas foram fortes no estádio catarinense, com torcedores levando pisões na cabeça, já caídos e desacordados nos degraus das arquibancadas. Muitos vascaínos, acuados, pularam no campo para escapar. Um helicóptero pousou no gramado para resgatar os feridos. Durante a briga, jogadores dos dois times se encaminharam para perto da arquibancada e pediram que a confusão terminasse.

Fonte: Vasco Notícias

Especulação

Não vem

Você aprova a contratação de Dunga (Técnico)?

Especulações Mercado