Futebol

VAR não funciona e decisão de campo valida gol de Rodrigo Dourado; assista

1

O gol de Rodrigo Dourado para o Internacional contra o Vasco, aos 9min do primeiro tempo do duelo deste domingo, em São Januário, está recheado de polêmicas. A CBF avisou que vai se posicionar após o jogo.
 

O árbitro Flávio Rodrigues esperou a análise do VAR para validar o gol colorado, já que havia suspeita de impedimento. No lance, Moisés cobrou falta na área do Vasco e Rodrigo Dourado subiu para cabecear. A dúvida era se o colorado estava à frente dos marcadores.

No entanto, a equipe que comanda o VAR percebeu um problema com o programa que traça as linhas na imagem e determina se o lance estava ou não irregular. Com o erro na tecnologia, a decisão foi de Flávio Rodrigues, sem a ajuda do monitor.

- Lance muito difícil, só que agora não dá para defender a arbitragem. Como fala que reta final do campeonato as linhas não estão calibradas, lance difícil, não tem imagem conclusiva, fica a decisão de campo. Isso não pode acontecer, num momento como esse. Reta final do campeonato. Está disputado a liderança e o outro rebaixamento. Para mim, isso é inadmissível - disse Nadine Basttos, comentarista de arbitragem da Globo.

O repórter Edson Viana, que estava no campo, trouxe mais informações:

- Aquela linha não é automática, aquilo ali é um programa de computador para quem está ali no VAR e aí ela estava descalibrada. Então foi decisão de campo para validar o gol do Internacional. Na hora da colocação da linha, foi percebido que estava descalibrado e prevaleceu a decisão do campo - disse Edson Viana, que no início do segundo tempo informou que o problema foi corrigido.
 

Autor do gol, o volante Rodrigo Dourado comentou o lance.

- A gente falou com o juiz, ele falou que não estavam conseguindo fazer a linha lá em cima do VAR, por isso que demorou um pouco. Eu estava em condição legal e o gol foi bonito - disse o jogador do Inter.

Na saída para o intervalo, o árbitro Flávio Rodrigues foi cercado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, o preparador físico Antonio Mello e o diretor de futebol Alexandre Pássaro. Houve forte cobrança dos vascaínos pela validação do gol.

Clique aqui para ver o lance.

Fonte: ge