Vascaínos lamentam público pequeno na semifinal desta quarta-feira

13/02/2019 às 20h04 - FUTEBOL

Nada ou quase nada do que foi imaginado para a partida entre Vasco e Resende, pela semifinal da Taça Guanabara, se concretizou. Por exemplo: Maracanã lotado em um domingo de sol? Não aconteceu. Jogo debaixo de temporal e abandonado pela torcida numa quarta-feira à noite? Muito menos. Cercado de imprevistos, a única unanimidade para todos os envolvidos é que o duelo foi sabotado por eles.

Os vendedores do lado de fora do estádio dão o tom. Cambistas, que normalmente não teriam vez numa partida dessas, de lugares fartos, se multiplicaram no lado de fora do Maracanã. O ingresso que custava R$ 40 passou a valer R$ 100 depois que a venda legal foi cancelada pela Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj).

A decisão aconteceu depois que a Prefeitura do Rio alertou para o risco de temporal na cidade durante toda a quarta-feira. E com isso, vendedores de capas de chuva apareceram aos montes com os acessórios. Ficaram todas encalhadas. Na tentativa de fazer algum dinheiro, chegavam a oferecer três capas por R$ 10. Uma pechincha.

A torcida do Vasco também sofreu. Quem não quis se arriscar depois do alerta da Prefeitura pegou o reembolso ou, pior, ficou com o ingresso na mão, sem usá-lo. Carlos Freitas, engenheiro, 31 anos, conhece duas pessoas nessa situação.

- É uma pena, mas a Prefeitura fez a parte dela, que é alertar. Quase que eu também não vim ao jogo.

Guilherme Rodrigues, também engenheiro, de 43 anos, estava empolgado com a partida no domingo. Seria a chance de levar esposa e filho para o jogo contra o Resende. No horário e no dia que foi, preferiu vir sozinho. Para Leandro Santos, geólogo, de 37 anos, houve exagero por parte do município.

- Eu estava decidido a vir de qualquer jeito. Para mim, eles fizeram um alarde, depois da chuva da semana passada. Não ia chover o que choveu naquela vez.

Fonte: O Globo Online