Vasco 4x1 Flamengo: Ranking dos 20 maiores jogos da história do Brasileirão

07/08/2020 às 20h07 - CLUBE

Antes ou depois da unificação dos títulos, o Campeonato Brasileiro marca a história do futebol nacional. São jogos memoráveis, decisões ainda lembradas mesmo com o passar dos anos e, principalmente, o surgimento de lendas dos gramados.

Abaixo, você confere a lista dos 20 maiores jogos do torneio. É só a minha opinião. Você tem todo o direito de discordar:

1 - Flamengo 3 x 2 Atlético-MG (final de 1980)

A decisão que deu ao Flamengo seu primeiro Brasileiro teve drama e craques. Zico fez dois gols, Reinaldo marcou com o joelho machucado, e Nunes decidiu em cima da hora. Foi o segundo maior público da história do campeonato.

2 - Guarani 3 (3) x (4) 3 São Paulo (final de 1986)

Era Evair de um lado e Careca do outro, disputando a artilharia. O são-paulino foi o goleador com gol no último instante da prorrogação. Depois, campeão nos pênaltis. O São Paulo dos Menudos foi um time incrível.

3 - Palmeiras 2 x 3 Internacional (semifinal de 1979)

Foi a maior atuação de Paulo Roberto Falcão como jogador. Desafiado pelos jornais paulistas, que perguntavam se Mococa era melhor, Falcão fez dois gols e deu um espetáculo. Levou o Inter à final e ao título invicto.
 

4 - Atlético-MG 2 x 3 Flamengo (semifinal de 1987)

O Atlético-MG chegou invicto à semifinal e perdeu no Maracanã por 1 a 0, gol de Bebeto. Dirigido por Telê Santana, enfrentava Renato Gaúcho, desafeto do técnico. Renato destruiu, fez o gol da vitória, e o Flamengo foi à final da Copa União.

5 - Corinthians 2 x 3 Santos (final de 2002)

O Santos fez 1 a 0 em pênalti cobrado por Robinho e sofrido por ele mesmo depois de oito pedaladas contra Rogério. O Corinthians virou para 2 a 1, e o Santos mudou para 3 a 2 a partir dos 42 minutos do segundo tempo. Os Meninos da Vila ganharam o Brasil.

6 - Internacional 1 x 0 Cruzeiro (final 1975)

O gol iluminado de Figueroa, marcado de cabeça, na única fresta de sol na grande área, no Beira-Rio. Depois, o duelo entre os chutes incríveis de Nelinho e as defesas impossíveis de Manga.

7 - Fluminense 1 x 1 Corinthians (semifinal de 1977)

A invasão corintiana foi marcante, com metade do Maracanã tingida de preto e branco, contra a Máquina Tricolor, de Rivelino. Pintinho marcou para o Fluminense, e Ruço para o Corinthians. A decisão dos pênaltis levou o time paulista à final contra o Internacional.

8 - Flamengo 3 x 0 Santos (final de 1983)

No maior público da história do Brasileirão, 155 mil pagantes viram Zico marcar aos 40 segundos. O Santos podia perder por 1 a 0 e haveria prorrogação. Leandro marcou aos 44 do primeiro tempo, e Adílio fechou os 3 a 0 no último minuto. Atuação de gala de Adílio.

9 - Botafogo 0 x 5 Santos (final de 1963)

A única decisão com Garrincha de um lado e Pelé do outro. Era Taça Brasil, mas entra na lista pelo Brasileirão unificado. Dorval, Pelé e Coutinho marcaram antes de Pelé fechar o show, com dois gols.

10 - Santos 4 x 5 Flamengo (2011)

O Santos abriu 3 a 0, e o Flamengo foi buscar. Foram dois gols de Neymar, um deles de placa, passando por todo o time rubro-negro. Três de Ronaldinho Gaúcho, estrela da noite, responsável pela virada.

11 - Cruzeiro 6 x 2 Santos (final de 1966)

Outra final de Taça Brasil que vira Brasileirão unificado. Zé Carlos marcou contra no primeiro minuto. Depois, Natal e Dirceu Lopes, três vezes. Tostão fechou o espetáculo azul. O Cruzeiro seria campeão no Pacaembu, uma semana depois.

12 - Grêmio 2 x 1 São Paulo (final de 1981)

O jogo de ida da decisão teve pênalti para o Grêmio. Baltazar perdeu, intimidado pela catimba de Valdir Peres. Então, Paulo Isidoro jogou tudo na maior atuação de sua vida. O Grêmio venceu por 2 a 1 e foi campeão no domingo seguinte, no Morumbi.

13 - Corinthians 3 x 2 São Paulo (semifinal de 1999)

O Corinthians fez 1 a 0 com Nenê, o São Paulo empatou com Raí. O Corinthians fez 2 a 1 com Ricardinho, o Tricolor igualou com Edmílson. Marcelinho fez 3 a 2. Mas o ponto alto foi o duelo Raí x Dida, que defendeu dois pênaltis do Terror do Morumbi.

14 - Cruzeiro 2 x 3 Atlético-MG (quartas de final de 1999)

O Cruzeiro foi o segundo na classificação geral, e o Atlético-MG terminou em sétimo. O Cruzeiro era favorito, fez 1 a 0 e 2 a 1. Mas o artilheiro Guilherme virou para 3 a 2. O Galo surpreendente foi à final do Brasileirão.

15 - Vasco 4 x 1 Flamengo (semifinal de 1997)

A semifinal tinha dois quadrangulares e este grupo também contava com Juventude e Portuguesa. Edmundo destruiu, fez gols e comemorações de todos os estilos. Os 4 a 1 levaram o Vasco à final e depois ao troféu.

16 - Corinthians 0 x 2 Fluminense (semifinal de 1984)

Carlos Alberto Parreira sempre disse que esta foi a melhor atuação daquele Fluminense do Casal 20 Washington e Assis, e de Romerito. Um show à base da troca de passes dentro do Morumbi, com gol de cabeça de Assis e de contra-ataque, de Tato.

17 - Bahia 2 x 1 Fluminense (semifinal de 1988)

O maior público da história da Fonte Nova, com 110 mil pessoas que assistiram a Washington marcar 1 a 0 para o Fluminense. Bobô e Gil viraram para o Bahia e começaram o Carnaval em Salvador, em fevereiro de 1989.

18 - Corinthians 4 x 1 Flamengo (quartas de final de 1984)

O Corinthians perdeu no Maracanã por 2 a 0 e precisava vencer por dois gols de diferença para se classificar. Fez 4 a 1 com show de Sócrates, Casagrande, Zenon e Wladimir. O placar eletrônico do Morumbi brincava com os rubro-negros mostrando os horários dos próximos voos para o Rio de Janeiro.

19 - Palmeiras 3 x 1 Corinthians (final de 1994)

Um show de Rivaldo no primeiro jogo das finais de 1994, contra o Corinthians. O camisa 11 do Palmeiras marcou aos 44 minutos do primeiro tempo e fez 2 a 0 aos 18 do segundo. Depois, participou do terceiro, marcado por Edmundo. Mesmo com Marques descontando, o 3 a 1 praticamente garantiu o bicampeonato brasileiro para o time de Vanderlei Luxemburgo.

20 - Bahia 3 x 1 Santos (final de 1959)

O Bahia ganhou na Vila Belmiro por 3 a 2, com Pelé e tudo. Depois, perdeu na Fonte Nova, o que forçou o terceiro jogo no Maracanã. Coutinho fez 1 a 0 para os santistas. Vicente, Léo e Alencar viraram. Pelé não estava em campo, na primeira final de Taça Brasil.

Fonte: Blog do PVC - ge