Vasco e Botafogo podem poupar alguns titulares no clássico

23/02/2019 às 08h27 - FUTEBOL

Alguns traços de modernidade nos jogos de Vasco e Botafogo recebem a assinatura de Alex Santana e Lucas Mineiro. Os volantes cobrem o campo todo: protegem a defesa, ajudam na criação e chutam a gol. O clássico deste sábado no Estádio Nilton Santos, às 19h30, pede justamente jogadores cheios de gás, ainda mais depois de viagens desgastantes no meio da semana, que podem levar Zé Ricardo e Alberto Valentim a poupar alguns titulares.

Alex — um dos que podem começar no banco — e Lucas possuem mais em comum do que a boa fase e o estilo de jogo. Ambos foram contratados sem grandes expectativas, pinçados de equipes que não brilharam em 2018, mas logo ocuparam papeis importantes nos rivais cariocas.

O volante alvinegro, rebaixado com o Paraná para a Série B, preencheu a lacuna deixada por Rodrigo Lindoso no time de Zé Ricardo. O gol quase do meio-campo sobre o Defensa y Justicia, na Argentina, deixou a torcida ansiosa por ver algo parecido no Nilton Santos, onde Alex ainda não marcou.

— Ele é um cavalo para chutar. Quando pega a bola, a gente já grita para chutar, porque sabe que vai ser perigo de gol pelo menos — elogiou Jean, companheiro de Alex no meio-campo.

Os retornos de Leo Valencia e de João Paulo, recuperados de lesões, além da possível estreia de Cícero, aumentam o leque de opções de Zé Ricardo no meio-campo. O treinador pode preservar nomes mais desgastados pela sequência de jogos, como o lateral-esquerdo Jonathan e o próprio Jean.

Invencibilidade em jogo

No Vasco, que vem de uma sequência de três partidas em oito dias, Alberto Valentim também cogita dar descanso a alguns atletas. Se mantiver Lucas Mineiro, porém, sabe que as chances de gol pelo alto aumentam.

Vindo da Ponte Preta, que não subiu à Série A, Lucas desembarcou em São Januário fazendo jus à origem mineira. Chegou sem alarde, comendo pelas beiradas, e logo barrou Andrey. Com 1,88m de altura, sua força na bola parada — já marcou dois de cabeça este ano — agradou Valentim, que sentia falta de gols em lances de escanteio.

— Quando cheguei, disse que tinha como característica apoiar o ataque, não apenas ajudar na marcação. Meu objetivo é aperfeiçoar ainda mais tudo que venho fazendo para seguir tendo boas atuações — disse Lucas ao site oficial do Vasco.

Poupando jogadores ou não, o Vasco joga para manter sua invencibilidade na temporada: são nove partidas e oito vitórias até aqui. O retrospecto é um elemento que Valentim usa para motivar ainda mais quem ganhar uma chance no time titular.

Quem pode se aproveitar do rodízio é o atacante Rossi. O jogador ainda não foi titular desde que chegou a São Januário, mas tem a possibilidade de começar jogando no Nilton Santos.

Fonte: Jornal O Globo