"Vasco e Flamengo prestaram desserviço à população", diz vice do Fluminense

19/05/2020 às 23h52 - FUTEBOL

Sem autorização do governo e da prefeitura para voltarem a treinar no Rio de Janeiro, Flamengo e Vasco estudam a possibilidade de retomar as atividades presenciais em Brasília e se reuniram nesta terça-feira com o presidente Jair Bolsonaro para tratar do assunto. Do outro lado da corda, Fluminense e Botafogo criticaram os rivais pelo movimento ainda em meio ao pico da pandemia no Brasil.

Depois de o Botafogo detonar a dupla através de Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê gestor do futebol do clube, o Fluminense também se posicionou pelo seu vice-presidente geral, Celso Barros. Médico pediatra e ex-presidente da "Unimed-Rio", o dirigente, que já havia criticado o parecer do Ministério da Saúde pela volta do futebol, atacou os rivais em publicação nas redes sociais:

– No Rio de Janeiro, que é a base desses dois clubes, as mortes não param de crescer. (...) Com todo o respeito, penso que o Vasco e o Flamengo prestaram um enorme desserviço à população carioca e brasileira, ao procurarem endossar que tudo isso não passa de uma "gripezinha" e que, no caso deles, significa retornar as atividades, desrespeitando os atletas, funcionários e suas famílias.

Afastado pela diretoria desde novembro do ano passado, Celso Barros não vinha participando mais da política do clube, antes mesmo da paralisação, mas busca ajudar com sua influência na busca por patrocínios. Aos 67 anos e parte do grupo de risco, ele tem ficado confinado em sua casa na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, durante a pandemia.

Veja o texto na íntegra:

"Hoje tomamos conhecimento de uma reunião em Brasília, dos presidentes do Flamengo e do Vasco, com o presidente Jair Bolsonaro.

Certamente ocorreu uma discussão sobre a volta do futebol no Brasil. Esses clubes, que tem um enorme número de torcedores, passaram para todos discurso contrário, a princípio, ao distanciamento social. Esta tem sido uma defesa do Governo Federal, que é contrária a todas as lideranças mundiais.

No Rio de Janeiro, que é a base desses dois clubes, as mortes não param de crescer. Em entrevista, o prefeito do Rio diz que não poderão existir treinos e convida os clubes a ouvirem a Bia, que contraiu o COVID-19 e graças a Deus já se recuperou. Bia era ou é a Secretária Municipal de Saúde. Salientou ainda que ela é rubro-negra.

Com todo o respeito, penso que o Vasco e o Flamengo prestaram um enorme desserviço à população carioca e brasileira, ao procurarem endossar que tudo isso não passa de uma "gripezinha" e que, no caso deles, significa retornar as atividades, desrespeitando os atletas, funcionários e suas famílias.

Que Deus nos proteja!"

Fonte: GloboEsporte.com