Vasco estreia na Taça Rio com "lei do silêncio" para salários atrasados

29/02/2020 às 09h04 - FUTEBOL

Após dez dias somente treinando, o Vasco volta "em silêncio" aos gramados para estrear na Taça Rio contra o Resende hoje (29), às 19h, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Incomodados com os recorrentes problemas de salários atrasados, os jogadores cruz-maltinos decidiram por não conceder entrevistas até que a situação seja equacionada, pelo menos parcialmente. Por conta disso, a tendência é a de que o telespectador que for acompanhar a partida não ouça o que têm a dizer os atletas antes e depois do jogo, que terá transmissão exclusiva do Premiere.

O objetivo de não dar entrevista é o de não exibir os patrocinadores do clube, numa tentativa de forçar a diretoria a solucionar os débitos o mais rapidamente possível.

A decisão foi tomada pelas lideranças do elenco no último dia 21, véspera de Carnaval, em uma reunião do grupo com o diretor-executivo de futebol, André Mazzuco.

O dirigente, aliás, acabou sendo o porta-voz do Vasco para a imprensa na única entrevista coletiva que aconteceu após o protesto dos atletas. Nos outros dias, os treinos foram abertos parcialmente, mas não houve janela de entrevistas para os jornalistas.

"Tivemos uma reunião com os atletas, sempre sendo transparentes ao máximo. Sempre reforço o grupo, destaco a dedicação dos atletas. Graças à superação do grupo, o Vasco tem superado as adversidades. Não há o que falar dos atletas. Eles estão no direito deles. Obviamente, tudo é conversado. Eles estão incomodados, assim como nós estamos incomodados na resolução das pendências. O clube está buscando soluções, de alguma forma", disse Mazzuco na ocasião.

"Precisamos acelerar e dar uma resposta a eles. É um momento delicado. Ao mesmo tempo, as coisas estão acontecendo em paralelo. O presidente e seus pares estão empenhados em achar uma solução. Ressalto que os atletas não trabalham menos por conta desse problema. É um grupo dedicado e que se doa diariamente", completou.

Além do diretor-executivo, o único contato dos repórteres com integrantes do clube foi com o mais novo reforço da equipe para a temporada, o meia argentino Martín Benítez, em seu desembarque no aeroporto internacional do Rio de Janeiro na última quinta-feira (27).

O Vasco deve aos jogadores dezembro, janeiro, 13º (segunda parcela), férias e direitos de imagem. E aos funcionários dezembro (quem recebe acima de R$ 1,8 mil), janeiro, 13º e férias.

Campello em viagem

Enquanto o elenco protesta e os salários seguem atrasados, o presidente do Vasco, Alexandre Campello, esteve em viagem à Europa com a família. Sua ausência no Conselho Técnico da CBF na última quinta, por exemplo, foi muito criticada pelos opositores.

No encontro que reuniu presidentes de diversos clubes da Série A, foi definida a tabela do Campeonato Brasileiro e também outros pontos importantes, como o veto à venda de mandos de campo na competição. O Cruz-Maltino, por exemplo, foi o clube que mais adotou a prática nos últimos anos, numa forma de dar um pouco mais de alívio às finanças.

O Vasco foi representado na reunião pelo diretor-executivo de futebol, André Mazzuco, que não possui cargo estatutário.

Fonte: UOL