Vasco faz ação convidando torcida para doar sangue

22/01/2020 às 16h00 - TORCIDA

Rio - "A história mais bonita do futebol e da solidariedade" é salvar vidas. Com esse objetivo, entre 16 e 31 de janeiro, a torcida do Club de Regatas Vasco da Gama é convidada a fazer parte da campanha Vascaíno Sangue Bom, promovida pelo Banco de Sangue Serum, no Rio de Janeiro.

A ação pretende proporcionar o aumento nos estoques sanguíneos que estão abaixo do ideal neste começo do ano, devido ao período de chuva e férias escolares.

"A música do time faz referências a lutas e glórias conquistadas pelo elenco vascaíno. E nesse espírito, a campanha quer mostrar que salvar vidas é um caminho de vitória, assim como o clube é lembrado pelos torcedores", diz Rodrigo Moreira, líder de captação do Banco de Sangue Serum.

Apesar da mobilização contar com o apoio dos vascaínos, todas as torcidas são convidadas e bem-vindas a praticar esse gesto nobre e solidário de doação de sangue.

Os primeiros doadores serão presenteados com um copo exclusivo da campanha Vascaíno Sangue Bom.

Veja como é fácil doar

Os interessados precisam pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde. Não é necessário fazer jejum, mas é preciso esperar três horas após a ingestão de alimentos gordurosos. No local, basta apresentar um documento oficial com foto e ter entre 16 e 69 anos (menores de idade precisam de autorização e estar acompanhados por um responsável legal).

O voluntário não pode ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. Quem tiver feito tatuagem, ou piercing recentemente precisa aguardar 12 meses após o procedimento, e quem fez endoscopia deverá aguardar 6 meses após a realização do procedimento. 

Serviço:

Banco de Sangue Serum. Rua Riachuelo, 43, Centro - Rio de Janeiro. Dentro do Hospital da Ordem do Carmo, 3º andar. Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h às 12h. Telefone: (21) 3233-5950. Estacionamento conveniado durante a doação - Landeiras Park, Avenida Gomes Freire, 769 - Lapa. 

Fonte: O Dia