Especulações e Saídas clique aqui

Vasco faz cálculos após adesões de sócios

29/11/2019 às 12h44 - CLUBE

Iniciada como uma onda a partir de domingo, a adesão em massa de torcedores do Vasco ao programa de sócio-torcedor surpreendeu a diretoria cruzmaltina e alavancou de forma inesperada a receita do clube. O programa praticamente triplicou de tamanho saltando de 33 mil pessoas para 85 mil pessoas até o final da noite de quarta-feira. Houve um componente de reação aos títulos do rival Flamengo no final de semana, como reconhecem os dirigentes do clube.

A diretoria do Vasco já planejava uma promoção de seu programa de sócios para a semana da Black Friday. Foram cortados os valores dos preços pela metade, mas a adesão tem que ser por pelo menos seis meses. Há pacotes que começam em R$ 4,00 por mês com a promoção, no caso do Camisas Negras. Mas, entre os planos que dão direito a desconto de ingresso, o mínimo é de R$ 12,49.

Pois bem, a partir dos títulos do Flamengo da Libertadores e do Brasileiro, houve uma discussão entre vascaínos, seja dentro da diretoria, seja entre torcedores de como reagir ao rival e ajudar o clube. No domingo, já começou uma reação e o clube já garantiu R$ 600 mil com adesões de sócios. Ressalte-se que esse valor vai entrar parcelado embora esteja garantido por cartões.

“De forma nenhuma, estávamos planejando isso. Não tem paralelo uma torcida como essa. Em geral, adesões estão sempre atreladas ao futebol. Estamos no meio da tabela. Temos um plano de recuperação financeira”, analisou o vice-presidente de Controladoria do Vasco, Adriano Mendes, que lembra que não tem um ídolo contratado e o time está no meio de tabela. “Mais um movimento histórico da torcida. Torcedor pensa mais no futuro do que no presente.”

Com o crescimento do movimento durante os dias, a onda foi aumentando. Na terça-feira, o clube conseguiu garantir uma arrecadação de R$ 3,5 milhões. De novo, esse valor é para ser recebido parcelado e não de uma vez só. Ainda não é possível saber quanto o clube passará a ganhar por ano com o sócio-torcedor já que está no meio da onda de adesões, e o clube faz cálculos.

Para se ter ideia, o Vasco costumava arrecadar por mês com sócio-torcedor em torno de R$ 1,8 milhão a R$ 1,9 milhão. Isso porque já houve um salto no sócio-torcedor na gestão de Alexandre Campello, saindo de 9 mil para 33 mil. No último balancete do Vasco, até setembro de 2019, a receita com associados aparece como a segunda maior do clube com R$ 13,3 milhões, atrás dos direitos de televisão.

Na visão do clube, o plano de sócio deve ser ainda menor do que a receita com venda de jogador pois o Vasco tem revelado vários jogadores.  O Vasco teve um ano complicado financeiramente, mas, neste final de temporada, deve se ajustar com a entrada de dinheiro de televisão. Não dá para contar com o sócio-torcedor para fechar a conta porque os valores são parcelados.

Além da receita, a adesão em massa pode impactar em outras gerações de receitas como patrocínio porque o clube mostrou a força de sua torcida. Isso obviamente é visto pelo mercado. “Torcida não fez pensando no amanhã, mas pensando no futuro. Em vez de ficar chorando, foi para o combate aberto. Levantou a cabeça”, exaltou o vice Adriano Mendes.

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL Esportes