Vasco muda estrutura da base e volta a ser destaque no Brasil

07/10/2019 às 15h17 - CATEGORIAS DE BASE

Romário, Edmundo, Felipe, Pedrinho, Philippe Coutinho, Paulinho... O Vasco tem um histórico de respeito quando o assunto é revelar grandes jogadores e tem tudo para voltar a ser referência. Depois de uma mudança estrutural e, principalmente, metodológica na base, o clube vem colhendo frutos e ganhando destaque em várias competições nacionais.

Só nesse ano, a equipe sub-20, por exemplo, foi vice-campeã da Taça São Paulo, chegou na semifinal da Copa do Brasil e hoje lidera o Campeonato Brasileiro. No Estadual, venceu com propriedade a Taça Rio no último domingo diante do Flamengo. O sub-17, foi até a semifinal da Copa do Brasil. No total, foram convocados 14 jogadores para as seleções de base do Brasil.

- A ideia do Campello era realmente fazer uma reestruturação. O trabalho de base é um trabalho de médio a longo prazo. O que vinha sendo feito de bom, aproveitamos. Criamos uma metodologia onde você pudesse treinar todas as categorias de forma igual. Não em um sistema de jogo, mas um modelo. Vasco tem um potencial para ser constante na formação de novos talentos - revelou Calos Brazil, gerente da base.

A proposta de jogo que o Vasco tem hoje é implementada desde cedo, inclusive no futsal. O que muda é a complexidade do treino para cada categoria. Tudo que o novo modelo tem como premissa básica é passado da mesma forma tanto para um menino de seis quanto para um jovem de 20.

O objetivo não é fazer com que os jogadores cheguem ao profissional com um estilo de jogo específico, mas com atitudes iguais dentro de campo que farão o clube buscar sempre o protagonismo nas competições.

- O Vasco tem que ser protagonista, tem que gostar de estar com a bola e tem que controlar o jogo. Vamos jogar um clássico fora, o Vasco sempre se impõe. Os resultados apareceram, pois também temos atletas com potencial em todas as categorias. Nós fizemos a integração do futsal com o campo. Se eu quero que ele reaja na perda da bola, vai acontecer no futsal e no campo. Os jogos passam a ser parâmetros. Todos os atletas pensam a ter o mesmo comportamento e conceitos - afirmou Próspero Paoli, coordenador metodológico da base vascaína.

Além da parte teórica, o Vasco se mexeu para fortalecer o quadro de profissionais que trabalham diretamente com a formação dos jovens. Hoje conta com pessoas de vasta experiência no futebol e dentro do próprio clube. É o caso de Paulo César Gusmão, coordenador de futebol. Ex-jogador, preparador de goleiros, auxiliar e técnico dos profissionais do Vasco, ele tem o trabalho de entregar o atleta pronto ao elenco profissional.

- Para você formar um jogador você mesmo precisa ter uma formação técnica. Além de uma experiência pessoal para passar um pouco da história do Vasco para os meninos. Importante que eles conheçam o Vasco, que tem uma tradição de revelar grandes jogadores. Os ídolos foram formados em São Januário. O Vasco é um clube de grande tradição nesse aspecto - lembrou ele, que foi auxiliar de Luxemburgo por 10 anos e conquistou grande títulos, principalmente no Cruzeiro. Inclusive, PC teve muita influência na escolha da diretoria pelo técnico após a saída de Valentim.

Por falar em Luxemburgo, ele está sempre aproveitando jogadores da base nos treinos dos profissionais e, consequentemente, ajudando na formação desses meninos. Foi assim que "descobriu" o atacante Talles Magno e agora o volante Bruno Gomes.

Eduardo Hungaro, coordenador de futebol da base, também tem uma grande experiência no futebol. Para ele, trabalhar com a base é especial, pois necessita um olhar diferente.

- Trabalhar na base é especifico por que nosso resultado é individual. Quem foi o campeão estadual sub-20 em 2014? Pouca gente vai lembrar. Mas quem o Vasco, Flamengo, Botafogo e Fluminense revelaram? Vamos lembrar. É importante ter esse olhar para essa questão individual. O horizonte que temos é maravilhoso. É impressionante a força natural desse clube.

Cerca de 220 meninos captados em 1 ano e meio

O processo de captação também tem um papel fundamental nesse momento bom da base. Desde o início do ano passado, cerca de 220 meninos chegaram para treinar em São Januário. Isso só foi possível pelo aumento no número de profissionais que fazem esse tipo de trabalho. Segundo os responsáveis pela base, mesmo com toda dificuldade financeira, o presidente Alexandre Campello nunca negou nada que foi solicitado.

Dentro do clube o trabalho é visto de forma muito positiva e de importância para o futuro esportivo e financeiro do Vasco. Além de Talles Magno, o torcedor, em breve, poderá ter a chance de ver surgir outra grande jogador. Na lista tem: Gabriel Pec, Figueiredo, Vinicius, Riquelme, Juninho, Caio Lopes, Nathan, Lucão, Caio Buiu, Marlon Gomes... Entre outros.

Fonte: Globoesporte.com