Vasco se aproxima de patrocínio em realidade de investimento mais modesto

01/02/2019 às 07h03 - CLUBE

As frentes de trabalho no Vasco são muitas, e o presidente Alexandre Campello precisa se dividir. Enquanto internamente ele vive o fogo cruzado da guerra com o Conselho Fiscal, fora dos muros de São Januário as negociações em busca de um patrocinador máster seguem a todo vapor. O otimismo quanto a um acerto é grande, mas dentro de uma nova realidade do mercado no Brasil.

Há conversas com pelo menos duas empresas: o BMG e a LG. Como o banco fechou com o Corinthians, clube com segunda maior torcida do país, por R$ 12 milhões, é improvável que outros times consigam obter dele patrocínio com valor igual. Para completar, as parcerias atuais têm sido atreladas a metas. Para ganhar a quantia toda, é preciso ter resultado em campo.

O último patrocínio máster do Vasco foi o da Caixa Econômica Federal, em 2017, que rendeu ao clube R$ 11 milhões. Porém, por conta da ausência das certidões negativas de débito (CNDs), recebeu apenas R$ 6 milhões. O presidente espera liberar o restante em um prazo de 15 dias, assim que as CND’s finalmente saírem.

Caso consiga fechar patrocínio máster este ano, o Vasco quebrará um jejum em termos de marketing. Desde 2009 que todas marcas que apareceram no principal espaço do uniforme foram de viés político. No ano da primeira vez na Série B, o clube assinou contrato com a Eletrobras. Depois que o contrato com a estatal acabou, em 2013, o clube fechou com a Caixa, outra empresa pública.

A MRV, empresa do ramo da construção civil, foi a última privada a patrocinar o Vasco no espaço máster, em 2008. Na época, os valores motivaram críticas da torcida: cerca de R$ 3,5 milhões por ano.

Foto: Brenno Carvalho / Agência O GloboAlexandre Campello está atrás de novo patrocínio para o Vasco
Alexandre Campello está atrás de novo patrocínio para o Vasco

Fonte: Extra Online