Vasco vai poder lucrar com Marrony mesmo com o jogador longe de São Januário

16/06/2020 às 08h24 - FUTEBOL

A negociação de Marrony com o Atlético-MG vai representar um alívio para o Vasco, porém o dinheiro não vai resolver todos os problemas financeiros do clube. Isso porque para sanar as dívidas mais urgentes, no caso os salários atrasados, o Cruz-Maltino precisaria de cerca de R$ 25 milhões.

O Galo vai pagar R$ 20 milhões por 80% dos direitos econômicos do atacante. Deste percentual, 56% do valor vão para o Vasco (R$ 14 milhões), 14% são do Volta Redonda (R$ 3,5 milhões) e 10% (R$ 2,5 milhões) pertencem a um empresário que adquiriu uma fatia do jogador em 2018.

Antes de começar a pagar os salários atrasados, o Vasco vai precisar quitar um empréstimo feito com conselheiros. O dinheiro foi utilizado no início da semana passada para acertar o restante da folha de janeiro do departamento de futebol e os débitos junto ao próprio Marrony, evitando assim uma rescisão contratual pela Justiça por parte do atacante. Estima-se que a dívida seja superior a R$ 2 milhões.

Vale destacar que a transferência rende comissão aos intermediários. De acordo com a apuração do Esporte News Mundo, a negociação vai render cerca de R$ 1,5 milhão para os envolvidos. Como e quando será feito o pagamento ainda não está decidido, porém é certo que o Vasco terá que arcar com boa parte do valor.

A folha salarial do Vasco gira em torno de R$ 7 milhões, com cerca de R$ 4 milhões destinados ao departamento de futebol. A projeção é de que o clube consiga quitar integralmente os meses de fevereiro e março, para jogadores e funcionários. Restariam alguns meses de direitos de imagem, remuneração que apenas alguns atletas recebem, os meses de abril e maio, que vence no próximo dia 20.

Receitas para o futuro

O Vasco vai poder lucrar com Marrony mesmo com o jogador longe de São Januário. A negociação prevê um bônus de R$ 1 milhão ao Vasco quando o atacante completar 30 jogos pelo Atlético-MG. A informação foi divulgada pelo globoesporte.com e confirmada pelo ENM.

Além disso, o Cruz-Maltino manteve 14% dos direitos econômicos do atacante, enquanto o Volta Redonda ficou com 6%. Os 20% estão com o valor fixado em 1,5 milhão de euros (R$ 8,7 milhões na cotação atual), que precisam ser pagos em caso de venda no futuro. Caso Marrony não seja negociado até o início de 2023, o Galo terá que desembolsar 1 milhão de euros (R$ 5,8 milhões).

Fonte: Esporte News Mundo