Vasco vive clima tenso às vésperas de semifinal do Carioca

06/04/2019 às 18h18 - CLUBE

Campeão da Taça Guanabara, semifinalista do Campeonato Carioca e firme na Copa do Brasil, o Vasco tinha tudo para estar vivendo um momento tranquilo, mesmo perdendo a final da Taça Rio para o Flamengo, mas não está. Parte do elenco anda insatisfeita com o atraso de salários e com as constantes mudanças no time feitas por Alberto Valentim.

O clima, que já não era bom, piorou na última sexta-feira, quando o elenco se reuniu com Alexandre Faria, diretor executivo, após o treino do CT do Almirante, e pediu explicações em relação aos salários atrasados e para que o clube desse preferência aos funcionários. Os jogadores chegaram a ameaçar não concentrar para a semifinal do Campeonato Carioca diante do Bangu – Vale ressaltar que nem todos estavam a favor do “protesto”.

Na manhã deste sábado, o presidente Alexandre Campello fez questão de comparecer ao treino para falar diretamente com os jogadores e amenizar a situação. Pediu um voto de confiança e que contava com o comprometimento já conhecido do grupo. O papo surtiu efeito, e eles resolveram se apresentar à noite para a concentração em um hotel da Barra da Tijuca.

Maxi se coloca à disposição, mas fica fora da semifinal

Outra situação que também vem mexendo com o clube é a de Máxi López. Principal jogador do Vasco, o argentino não começou a temporada como terminou a do ano passado e acabou perdendo a vaga para o jovem Tiago Reis. Segundo pessoas do clube, o atacante se reapresentou para a pré-temporada com 105 kg, perdeu 5kg e precisa de perder mais 4kg para chegar ao objetivo traçado pelos fisiologistas. Maxi vem se esforçando para isso para voltar a repetir o futebol que encantou o torcedor em 2018.

Além disso, Máxi queixou-se de uma lombalgia, que já o vinha atrapalhando desde a temporada passada. Depois que foi liberado para resolver problemas particulares na Itália no mês passado, o atacante voltou ao Brasil e começou o trabalho de recuperação. Durante toda a semana, ele trabalhou em separado e se colocou à disposição apenas nesse sábado, quando o técnico Alberto Valentim já tinha definido os relacionados. Ou seja, ficou fora mais uma vez.

Por falar em Valentim, o técnico vem trabalhando de uma forma coerente e dando oportunidade para todos, principalmente aos jovens da base. Quem aproveita, fica no time. Isso também vem deixando alguns jogadores, que se achavam intocáveis, insatisfeitos. O técnico vem tendo o respaldo da diretoria.

Em um mês tão importante, com semifinal neste domingo, contra o Bangu, e, quem sabe, final de Campeonato Carioca, com jogo decisivo pela Copa do Brasil, no próximo dia 10, contra o Avaí, em Florianópolis, o Vasco corre contra o tempo para se reequilibrar internamente e não começar o Brasileiro com um ambiente ruim.

Fonte: GloboEsporte.com