Veja a análise da vitória do Vasco sobre o Internacional

21/10/2019 às 08h03 - FUTEBOL

O Vasco conquistou, neste domingo, sua terceira vitória seguida no Campeonato Brasileiro. Fora de casa, contra o Internacional, que ainda não tinha perdido no Beira Rio. Um resultado que, sem dúvida alguma, coloca o Cruz-Maltino de vez na briga por "algo maior", como o próprio Vanderlei Luxemburgo tem dito, e que teve três pilares decisivos: Fernando Miguel, o técnico e Marrony.

O atacante foi quem fez o gol da vitória por 1 a 0, mas se não fossem as brilhantes defesas de Fernando Miguel e as substituições cirúrgicas de Vanderlei Luxemburgo o fim poderia ter sido outro no Beira Rio. Por isso, o trio foi fundamental no resultado que deixou o Vasco com 37 pontos, em 11º lugar na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, a cinco do G-6, o próximo alvo.

Não é por causa da vitória, porém, que o Vasco não sofreu. No primeiro tempo, D'Alessandro e Patrick tiveram muita liberdade pelo meio. No segundo, o ataque colorado criou chances pelo alto. Mas nada foi capaz de passar por Fernando Miguel e pela boa atuação cruz-maltina.

Veja, abaixo, a análise da vitória do Vasco sobre o Internacional:

Postura

O Vasco, desde quando o técnico Vanderlei Luxemburgo chegou, na quinta rodada do Campeonato Brasileiro, tem tentado não mudar sua postura quando joga fora de casa. Mesmo longe de São Januário, o Cruz-Maltino busca pressionar a saída de bola do adversário, trocar passes e, como ao lado da torcida, ser fatal em contra-ataques.

Neste domingo, mais uma vez foi assim. Antes mesmo de abrir o placar, Vasco já tinha desperdiçado oportunidades e não sofria com o ímpeto colorado, ainda invicto no Beira Rio. O Cruz-Maltino, fruto dos treinamentos do dia a dia no CT do Almirante, conseguia marcar a saída de bola do Internacional e forçar a ligação direta entre defesa e ataque.

A principal mudança dos primeiros jogos sob comando de Vanderlei Luxemburgo, quando ele ainda não tinha tido tempo para trabalhar o time, é a marcação na saída de bola dos adversários. O Vasco não espera mais atrás do meio de campo - costuma pressionar os zagueiros em blocos para não dar espaços.

Felipe Ferreira: boa opção

Desde a saída de Talles Magno para a seleção brasileira sub-17, Felipe Ferreira ficou incumbido de suprir a ausência da joia de 17 anos, mas em posição diferente. Com o meia, o Vasco passou a ter mais controle das partidas, mesmo com menos velocidade. O reforço recém-contratado tem atuado centralizado, como o antigo camisa 10.

Felipe Ferreira não apresenta a mesma genialidade de Talles Magno, mas, com qualidade no toque de bola, tem ajudado o técnico Vanderlei Luxemburgo a dar mais organização ao setor ofensivo do Vasco. O meia cadencia as partidas, tem boa visão e técnica suficiente para diminuir (só diminuir, não acabar) a saudade da joia.

Liberdade demais para D'Alessandro e Patrick

Principalmente no primeiro tempo, os volantes do Vasco não conseguiram parar a dupla de armação do Internacional. D'Alessandro e Patrick tinham liberdade e pareciam à vontade para criar as jogadas e chegar à área defendida pelo goleiro Fernando Miguel, mas não conseguiram transformar os espaços em gols.

Os volantes do Vasco eram criativos e ajudavam os jogadores de frente a puxar contra-ataques, mas vacilavam na marcação. Tanto que, no intervalo, o técnico Vanderlei Luxemburgo tirou Ribamar para colocar Guarín.

O dedo do técnico

Diante do cenário que se apresentava na etapa inicial, com o Internacional ganhando o meio de campo (dois meias contra dois volantes não estavam sendo suficiente para parar D'Alessandro e Patrick), Vanderlei Luxemburgo mexeu. A entrada de Guarín fez o Vasco ser superior numericamente no setor de marcação e diminuiu o ímpeto colorado.

Em pouco tempo, o Cruz-Maltino passou a roubar mais bolas e, automaticamente, criar mais contra-ataques. Além disso, ficou mais tempo trocando passes e evitando as investidas do Internacional. Logo, em um lance de velocidade com boa participação do lateral-esquerdo Henrique, Marrony abriu o placar para os visitantes.

Tarde inspirada de Fernando Miguel

O goleiro, alvo de críticas por causa de atuações recentes, foi decisivo na vitória do Vasco neste domingo. Principalmente no segundo tempo, o Internacional passou a apostar em jogadas pelo alto, já que a marcação na frente da área estava reforçada com três volantes. Foi aí que Fernando Miguel entrou em ação.

O goleiro do Vasco fez duas ótimas defesas em cabeçadas de Victor Cuesta e ainda foi rápido ao sair do gol para abafar finalização cara a cara de Guerrero, já dentro da área. Não fosse Fernando Miguel, as chances de o Cruz-Maltino deixar o Beira Rio com a vitória diminuiriam. O experiente jogador voltou a ser decisivo.

Fonte: GloboEsporte.com