Veja as notas dos jogadores do Vasco contra o Flamengo

14/04/2019 às 18h30 - FUTEBOL

Fernando Miguel - 6,5: Mais uma vez seguro embaixo da trave, Fernando Miguel não teve culpa nos gols. No segundo do Flamengo, espalma bola que iria para Gabigol e ela sobra para Bruno Henrique

Raúl Cáceres - 5,0: Perturbado ora por Arrascaeta, ora por Everton Ribeiro, Cáceres sofreu na marcação. O paraguaio sofreu com as investidas no seu lado e foi desarmado por Arrascaeta fazer a jogada do segundo gol.

Werley - 5,5: Deu sorte de o juiz anular um gol do Flamengo após ver o VAR e deixou o atacante livre após tentar tirar de primeira no gol que abriu o placar.

Castán - 5,5: Depois de dois jogos fora por problemas na coxa esquerda, o capitão voltou, mas assim como a defesa toda, pecava na bola aérea. Não acompanhou Bruno Henrique no lance do segundo gol.

Danilo Barcelos - 6,0: Conseguiu conter os avanços do Flamengo, que concentrava as ofensivas pela esquerda do campo de ataque. No campo de ataque não ofereceu muito perigo.

Raul - 6,0: Não comprometeu na partida, mas também não foi personagem de destaque com desarmes ou jogadas ofensivas.

Lucas Mineiro - 6,0: Como segundo homem do meio de campo, não deu a cadência necessária ao time para levar perigo à defesa do rival. Defensivamente mostrou bons desarmes de vez em quando, mas só.

Bruno Cesar - 5,0: Não conseguiu chamar a responsabilidade para si. Muitas vezes errava ao cadenciar o jogo em vez de tentar dar velocidade e foi corretamente substituído por Valentim.

(Lucas Santos) - 6,0: Apesar de entrar fazendo maior pressão na marcação no campo de ataque, não conseguiu transformar a vontade em efetividade. Até arriscou um chute, mas que passou longe.

Pikachu - 5,5: Apesar de ter tido a melhor chance no primeiro tempo, não dava muitas opções pela direita no campo. Após a entrada de Yan Sasse, foi para a posição de meia-armador, mas também não fez muita coisa.

Marrony - 7,5: Melhor do Vasco enquanto esteve em campo, Marrony mostrou velocidade, bons dribles e deu trabalho a Pará. Foi justamente com ele que o time chegou com mais perigo ao gol do Flamengo em cabeçada, de casquinha, no travessão

(Yan Sasse) - 6,0: Entrou na vaga do melhor do Vasco em campo, mas não conseguiu manter a velocidade do titular e por vezes parecia um pouco perdido e afoito.

Maxi - 6,5: Pouco acionado, Maxi esteve isolado na maior parte do tempo. Chegou a ter duas chances em finalizações, a segunda em chute forte para fora, mas de nada adiantou.

(Tiago Reis) - 6,0: Assim como o argentino, ficou muito isolado e só era procurado em chutões ou cruzamentos na área, o que não aconteceu.

Fonte: Globoesporte.com