Venda de Paulinho e outros sub-23 geraram quase 1,2 bilhão de reais

26/07/2018 às 12h11 - FUTEBOL

Se a derrota da Seleção na Copa do Mundo gera ainda um ou outro questionamento sobre a qualidade do jogador brasileiro, a atual janela de transferências e seus desdobramentos mostram que muita gente com grana ainda aposta na molecada revelada aqui. Só nesta janela, 15 atacantes brasileiros com 23 anos ou menos foram vendidos, gerando uma renda de 221,35 milhões de euros, aproximadamente 970 milhões de reais.

A soma inclui a venda de Rodrygo, negociado pelo Santos com o Real Madrid. Mas não inclui a de Vinícius Júnior, pois foi sacramentada no ano passado. Caso o fizesse, o valor chegaria a quase 1,2 bilhão de reais.

Os mais caros da turma são Richarlison, que trocou o Watford pelo Everton, o já citado Rodrygo, e Malcom, que foi do Bordeaux para o Barcelona. Impressionam também as somas das transferências de Paulinho (foi do Vasco ao Bayer Leverkusen por 20 milhões de euros) e de Matheus Cunha, atacante revelado pelo Coritiba, que foi para o Sion, da Suíça, e de lá para o RB Leipzig, da Alemanha, por 15 milhões de euros.

Há também apostas mais baratas, como Felipe Vizeu, que trocou recentemente o Flamengo pela Udinese, e Fernando, vendido por 5,5 milhões de euros do Palmeiras para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânica, que busca reeditar com jovens brasileiros o sucesso que teve com nomes como Willian, Douglas Costa e Alex Teixeira e também contratou o são-paulino Marquinhos Cipriano. Além, também, de Rodrigo Farofa, que trocou o Novorizontino pelo Real Madrid.

A lista se completa com Raphinha, ex-Avaí, que trocou o Vitória de Guimarães pelo Sporting, em Portugal, Carlos Eduardo, ex-Goiás, e Ribamar, ex-Atlético-PR, ambos agora no Pyramidis, do Egito, Carlos Vinícius (trocou o Real, de Portugal, pelo Napoli), Léo Jabá, ex-corintiano que saiu da Rússia e foi para o PAOK, da Grécia, e Marcos Guilherme, vendido pelo Atlético-PR ao Al Wehda, da Arábia Saudita.

Na lista, não é contabilizado o valor do empréstimo de Roger Guedes para o Shandong Luneng, da China, pois foram consideradas apenas transferências em definitivo.

Diferença grande em relação à temporada passada

Em 2017/18, de acordo como site alemão Transfermarkt, foram gastos 91 milhões de euros (aproximadamente 400 milhões de reais) em negociações de atacantes brasileiros sub-23. Vinícius Júnior, sozinho, movimentou quase a metade desta verba: 45 milhões de euros. Pedro Rocha, ex-Grêmio, Luiz Araújo, ex-São Paulo, e Richarlison, que havia trocado o Fluminense pelo Watford, também tiveram transferências significativas. Ainda assim, é menos da metade do valor arrecadado em 2018/19 e só até agora.

Valor menor que o dos franceses

O Brasil só arrecadou menos do que a França, que basicamente se deu bem com duas vendas: Kylian Mbappé, que foi para o PSG por 180 milhões de euros em definitivo, e Thomas Lemar, ponta de 22 anos que trocou o Monaco pelo Atlético de Madrid por 70 milhões de euros. No total, os franceses fizeram 11 vendas e arrecadaram 315 milhões de euros, aproximadamente 1,38 bilhão de reais. Outro negócio que chamou a atenção na janela até agora foi a ida do badalado Willem Geubbels, 16 anos, do Lyon para o Monaco por 20 milhões de euros.

Meias e zagueiros movimentam bem menos

Se entre os atacantes a grana rola solta, entre os meio-campistas sub-23 as cifras são bem mais modestas. Eles movimentaramm até agora 54 milhões de euros, o equivalente a 236 milhões de reais. Arthur, ex-Grêmio, saiu para o Barcelona por 30 milhões e encabeça a lista. Walace, ex-Grêmio, trocou o Hamburgo pelo Hannover 96, e Maycon, ex-Corinthians, foi para o Shakhtar Donetsk em duas negociações que geraram, juntas, 12,6 milhões de euros. Danilo, volante, foi para o Nice por 10 milhões. Douglas, que trocou o Fluminense pelo Corinthians, completa a lista de bons negócios envolvendo meio-campistas sub-23 na atual janela.

Isso não quer dizer, no entanto, que o Brasil esteja sem meio-campistas para vender. Fabinho e Fred, ambos com 25 anos, se mudaram para Manchester United e Liverpool, respectivamente, por somas astronômicas, assim como Felipe Anderson, que trocou o Lazio pelo West Ham e está na mesma faixa etária. Lucas Paquetá, do Flamengo, é especulado no Chelsea e os valores girariam em torno de 45 milhões de euros. Semelhantes aos dos três primeiros atacantes da lista.

Zagueiros e laterais brasileiros sub-23, juntos, movimentaram 30 milhões de euros, aproximadamente 130 milhões de reais. Com destaque para as negociações de Bernardo, do RB Leipzig, para o Brighton, Éder Militão do São Paulo para o Porto, Bremer do Atlético-MG para o Torino, João Pedro, do Palmeiras para o Porto, e Bruno Viana, zagueiro, do Olympiakos para o Braga.

Foto: Vasco.com.br paulinho
paulinho

Fonte: GloboEsporte.com

Especulação

Especulado

Você aprova a contratação de Jhonny Lucas?

Especulações Mercado