Wagner fala sobre intertemporada: "Parada poderia acontecer todos os anos"

27/06/2018 às 18h24 - FUTEBOL

Na manhã desta quarta-feira (27/06), antes da bola rolar para mais uma partida da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, o Vasco da Gama realizou mais um sessão de treinamento visando a sequência da temporada de 2018. Depois de participarem das atividades físicas comandadas pelo preparador Joelton Urtiga, os jogadores suaram a camisa em trabalhos técnicos e táticos, ambos dirigidos pelo treinador Jorginho.

Embora ainda esteja em seu início, o período de preparação já serviu para os atletas cruzmaltinos assimilarem um pouco da metodologia da nova comissão técnica. Em entrevista coletiva, o meio-campo Wagner enumerou os pontos abordados pelo técnico nas primeira atividades promovidas no CT das Vargens, em Vargem Pequena, destacando a intensidade de cada um dos treinamentos.

- O Jorginho está fazendo um pouquinho de cada. Está pegando aquilo que a gente tinha de bom e ajustando uma ou outra coisinha que estávamos errando e ele acha que pode ser feita de forma difente. Ele tem ouvido muito o que temos a dizer quando estamos dentro de campo e perguntando o que achamos antes de tomar qualquer atitude. Isso é muito bom, ainda mais vindo de um cara que foi campeão de mundo. Os treinos são focados mais na nossa pegada e e exigem nossa atenção. Precisamos ser mais agressivos, no bom sentido, e não deixarmos o adversário pensar tanto, encurtar os espaços o quanto antes - disse o armador, frisando em seguida a importância do recesso para o Almirante.

- Por mim, a parada poderia acontecer durante todos anos, pelo menos durante sete dias no mês de junho. O desgaste é muito grande, com jogos quarta e domingo. Em ano de Copa do Mundo, o calendário se torna ainda mais encurtado na questão de descanso e acabamos precisando jogar a cada dois ou três dias, sem contar nas viagens. Deu para dar uma zerada e tirar todo mundo do departamento médico. O Jorginho está tendo que dividir o grupo três por estar todo mundo à disposição. Isso vai causar uma dor de cabeça boa e que todo treinador quer para montar o time. Vamos retornar mais fortes - concluiu o camisa 20.

Fonte: Site oficial do Vasco

Enquete

Você é favorável ao retorno de Antônio Lopes no cargo de dirigente?

Deixe seu comentario