Abrir mão de São Januário não tem sido uma boa escolha

20/08/2019 às 08h10 - FUTEBOL

Punição, necessidade financeira, estratégia publicitária e impossibilidade estrutural. Muitos foram os motivos para o Vasco abrir mão de São Januário nos últimos tempos, mas passadas 13 partidas e dois anos, não há a menor dúvida de que, em termos técnicos e de resultados, mandar jogos fora de seu estádio no Campeonato Brasileiro tem sido péssimo para o Cruzmaltino. Jogar como mandante, mas longe de casa mostrou uma nova e dura realidade: são cinco derrotas, sete empates e apenas uma vitória de 2017 até aqui - um aproveitamento de 25,6%.

Este ano já foram três mudanças de local e em todas elas o placar foi frustrante: 1 a 1 com o Corinthians, na Arena da Amazônia, em Manaus (AM); 0 a 0 com o penúltimo colocado CSA, no estádio Kléber Andrade, em Cariacica (ES); e a goleada sofrida para o rival Flamengo no último sábado (17) por 4 a 1, no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).

Em termos financeiros, o Vasco arrecadou cerca de R$ 1,5 milhão com as três partidas. No clássico com o Rubro-negro, por exemplo, um cachê foi acordado previamente de pouco mais de R$ 500 mil, e o clube não teve acesso à parte da renda de mais de R$ 2,7 milhões.

A ressalva a se fazer é a de que contra o CSA o mando foi alterado em função de São Januário estar trocando os refletores por exigência da CBF. Nem isso, porém, livrou o clube das críticas dos torcedores, pois muitos lamentaram o fato de o Cruz-maltino não ter aproveitado o período sem jogos da Copa América para realizar tal ação.

Mudanças a partir de punição

As alterações de mando com mais frequência se deram a partir da punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em 2017, após as cenas de vandalismo no clássico com o Flamengo, em São Januário, no mês de julho. Na ocasião, o Vasco precisou mandar sete jogos em outras praças e só venceu o Botafogo por 1 a 0, no Maracanã, dia 14 de outubro.

Ano passado vendeu dois jogos para Brasília: contra o Corinthians foi goleado por 4 a 1, e diante do Flamengo empatou em 1 a 1. Houve ainda um jogo contra o Santos transferido para o Maracanã numa espécie de teste dos departamentos financeiro e de marketing, mas o resultado foi desastroso: derrota por 3 a 0, com direito a "hat trick" de Gabigol, hoje no rival rubro-negro.

A força de São Januário

A força de São Januário pode ser medidas pelos resultados do Vasco até aqui no Campeonato Brasileiro deste ano: das quatro vitórias na competição, três foram no estádio. Houve ainda um empate e uma derrota.

Ciente da importância do "caldeirão vascaíno", o técnico Vanderlei Luxemburgo pediu para a diretoria não vender mais mandos de campo até o fim da disputa.

Auxiliar do treinador, Mauricio Copertino preferiu não entrar em detalhes sobre o assunto após a derrota para o Flamengo. "É escolha da diretoria, este jogo já estava programado. A gente só cuida da parte técnica e tática. Já estava marcado para cá, nós cumprimos nosso trabalho", comentou.

O Vasco finaliza os últimos detalhes da troca de refletores para reencontrar sua casa na partida do próximo domingo (25), contra o São Paulo, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL Esporte