Allan e Coutinho dividem sonhos na Seleção nove anos após o Vasco

27/06/2019 às 12h13 - FUTEBOL

Introspectivo, Philippe Coutinho por vezes passa de cabeça baixa na entrada e saída do ônibus. Levanta o olhar apenas quando algum torcedor o chama. Nas coletivas, o sorriso é tímido e a voz, baixa. São marcas naturais do camisa 11 da seleção brasileira que desaparecem um pouco quando o amigo Allan está ao lado. Companheiros de Vasco desde a base, eles dividiram quarto nas concentrações do clube de São Januário e seguiram atrás dos sonhos do futebol desde meninos.

Tite avalia desempenho de Coutinho e timidez do jogador fora de campo

Os dois serão titulares contra o Paraguai, nesta quinta-feira, pelas quartas de final da Copa América, às 21h30 (de Brasília), na Arena do Grêmio. A TV Globo, o SporTV e o GloboEsporte.com transmitem a partida.

Allan morava numa comunidade em Ramos, bem ao lado do Piscinão de Ramos. Ele tem um ano a mais do que Coutinho, nascido e criado no Rocha – os bairros da zona norte ficam a poucos quilômetros de distância.

Allan e Coutinho começaram no Madureira — Foto: Arquivo pessoal

A dupla passou pelo futebol de salão do Madureira - mas não atuou junta no Tricolor Suburbano - e foi se encontrar no Vasco. Lá nasceu a amizade que dura até hoje, mesmo separados durante todo este tempo por países diferentes. Repare na foto que abre a matéria (mais acima). É de Marcelo Sadio, que era o fotógrafo na passagem dos dois em São Januário.

– Eles eram grudados, ficavam na concentração, nos treinos juntos. Os dois são mais na dele, parecidos até - lembra Rogério, irmão de Allan. A família do volante da Seleção, por sinal, correu para comprar passagens para assistir o jogador ao vivo, em campo, nesta quinta-feira. A mãe, a esposa e os filhos e dois irmãos de Allan viajam logo cedo para vê-lo com a camisa amarelinha.

Nas últimas férias, Allan viajou até Barcelona para visitar Coutinho - eles não jogam juntos desde que Coutinho se transferiu para a Inter de Milão em meados de 2010. Mas se viram novamente com a amarelinha, nove anos depois de serem campeões mundiais sub-20 pela seleção brasileira.

Nas férias, foram a alguns pontos turísticos da cidade e mataram as saudades, meses antes de se reverem na Seleção. Nos raros momentos de folga na Copa América, os dois saem com as mulheres e os filhos juntos. No início da carreira também tiveram o mesmo agente.

– Eles sempre foram bons meninos. O Coutinho mais tímido, o Allan ainda brincava mais no grupo. Mas na hora das entrevistas eram bem parecidos. Tanto que colocávamos para ir nas coletivas aos sábado, quando tinha poucos repórteres e câmeras – lembra Patricia Gregorio, que era assessora de imprensa do Vasco quando os “bons meninos” subiram para o profissional.

Tite confirmou Allan no time. Questionado sobre a personalidade de Coutinho e a responsabilidade de se tornar protagonista, o treinador disse que no campo a ação do camisa 11 vale mais do que qualquer traço de personalidade.

– Ele é mais quieto, sim. Não sei exatamente se introvertido ou introspectivo. Mas quando a bola rola é outra linguagem. É a linguagem da bola, do jogo, do criativo – disse o treinador.

Para Cleber Xavier, auxiliar de Tite, a presença de Allan ao lado de Coutinho pode até ajudar no desempenho da dupla. Ele brincou com a animação dos dois no vestiário.

– Eles estavam conversando no vestiário, bem felizes (risos). Tudo que for positivo é bom para nós. Acho que o Allan ajuda sim - comentou.

BRASIL x PARAGUAI

Local: Arena do Grêmio
Data e horário: quinta-feira, às 21h30 (de Brasília)

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Fernandinho, Arthur e Coutinho; Everton, Gabriel Jesus e Firmino. Técnico: Tite

Reservas: Ederson, Cássio, Fagner, Militão, Miranda, Alex Sandro, Allan, Paquetá, Willian, David Neres e Richarlison

Desfalques: Casemiro (suspenso)

PARAGUAI: Gatito Fernandez, Piris, Gustavo Gómez, Alonzo e Arzamendia; Perez (Derlis González), Sánchez, Ortiz e Rojas; Oscar Romero e Almiron. Técnico: Eduardo Berizzo

Arbitragem: Roberto Tobar, auxiliado por Christian Schiemann e Claudio Rios (todos do Chile); VAR: Julio Bascuñan (Chile), auxiliado por Piero Maza (CHI) e Nicolas Tarán (Uruguai)

Transmissão: o jogo entre Brasil e Paraguai terá transmissão ao vivo na TV Globo e no GloboEsporte.com, com narração de Galvão Bueno, comentários de Casagrande e Júnior, e reportagens de Tino Marcos e Eric Faria. O SporTV também transmite ao vivo com narração de Milton Leite, comentários de Lédio Carmona e Ricardinho, e reportagens de Julia Guimarães e André Gallindo. O GloboEsporte.com também faz duas "lives" – uma antes e uma depois do jogo – com análises e entrevistas, além da transmissão com duas opções de narração: uma com a equipe da TV Globo comandada por Galvão Bueno e uma com o time do Falha de Cobertura.

Tempo Real: no GloboEsporte.com, a partir das 19h30

Fonte: GloboEsporte.com