Análise tática de Avaí 0 x 1 Vasco

11/04/2019 às 09h08 - FUTEBOL

Comentários de Avaí 0x1 Vasco, ontem, 3ª fase da Copa do Brasil, 2º jogo

1 – Vitória madura do Vasco. Conseguiu suportar o sofrimento natural pela atmosfera da Ressacada e o próprio estilo de jogo do Avaí. Foi aos poucos se soltando e venceu bem no fim.

2 – O Avaí cresceu no 1º tempo quando deixou de apostar somente na bola direta para Daniel Amorim ganhar pelo alto. Isso não funcionou. Werley e Ricardo Graça estiveram muito bem. Laterais e volantes atentos à segunda bola e o Avaí não se impôs desta forma nos 20 minutos iniciais

3 – O Leão passou então a tentar jogadas pelos flancos. Sempre a seu estilo vertical. A busca pela associação entre João Paulo e Iury pela direita. A partir daí o Avaí cresceu e assustou até o fim da primeira etapa, encaixou bons cruzamentos e chutes de fora da área.

4 – O Avaí tem dois jogadores de muita imposição na bola aérea. Getúlio e Daniel Amorim sempre fazem os adversários padecerem deste mal. E o Vasco até que controlou bem isso. Fernando Miguel também esteve muito bem. Fez uma defesa salvadora no fim do 1º tempo.

5 – O Vasco demorou um pouco a tentar impor um jogo mais cadenciado. Só começou a fazer isso nos últimos 15 minutos da primeira etapa. Até então, entrava no jogo de bolas diretas, se movimentava pouco para gerar linhas de passe. Quando percebeu que poderia fazer isso, melhorou.

6 – Na segunda etapa, a parte defensiva do Vasco esteve ainda melhor. O Avaí assustou em dois lances de bola parada/aérea, ambos com Marquinhos, algo natural pela estatura do jogador. E com bola rolando só foi criar depois da entrada de Julinho, nos últimos 15 minutos.

7 – Com o ímpeto avaiano mais controlado, o Vasco teve mais momentos com a bola e já havia criado um lance de muito perigo antes do gol marcado por Pikachu aos 26’. Participação primordial de Maxi Lopez na jogada e também de Yan Sasse, dois que saíram do banco pra brilhar.

8 – Importante pro Vasco esse retorno de Maxi. Tiago Reis é muito promissor, mas num cenário de segurar a bola no ataque, abrir espaços, e servir companheiros, o argentino é mais completo e logicamente mais experiente. Segundo jogo bom de Yan Sasse saindo do banco.

9 – Yan é um meia de estilo mais cadenciado. Vem jogando pelo lado direito no Vasco. No Coritiba jogou bastante centralizado. Nesses dois jogos, mostrou aquilo que tem de melhor: último passe e finalização. Não vai entregar muita intensidade, participação e ajuda na marcação.

10 – O resultado, a classificação, e a atuação madura dão moral ao Vasco pra final do Campeonato Carioca contra o Flamengo. Certamente será um jogo onde terá mais espaço do que teve contra o Bangu, mas precisará redobrar os cuidados defensivos. Não oscilar mais.

11 – Já o Avaí percebeu da pior forma possível que precisa de mais variações ofensivas e qualidade técnica pra ser mais competitivo na Série A. O time tem armas, não é desorganizado. Há uma ideia clara, mas talvez insuficiente pra fazer uma campanha de permanência tranquila.

Fonte: Twitter do comentarista esportivo Rodrigo Coutinho