Após saídas, Vasco precisará remontar 'espinha dorsal' da parte física

01/01/2020 às 08h06 - FUTEBOL

Depois de um 2018 caótico na parte física — com muitas lesões que quase resultaram na queda para a Série B — o Vasco se reergueu no setor com o retorno, no início de 2019, do fisiologista Daniel Gonçalves, que assumiu a coordenação científica do clube. Junto com o preparador físico Antônio Mello posteriormente, fizeram uma dupla de sucesso na temporada que o técnico Vanderlei Luxemburgo não quis abrir mão na sua transferência para o Palmeiras neste mercado da bola. A perda da dupla acendeu o alerta no Cruz-Maltino sobre o desafio de manter o mesmo nível clínico dos atletas para 2020.

Daniel Gonçalves foi indicado por Luxa e está por detalhes para ser anunciado pelo clube paulista. O experiente treinador ficou encantado com os modernos métodos fisiológicos aplicados pelo profissional, que mescla conhecimento com tecnologia no uso de equipamentos.

Já Mello é um antigo e fiel companheiro do comandante. Há tempos faz parte da comissão técnica fixa de Luxemburgo. Para o seu lugar, o novo treinador, Abel Braga, havia indicado inicialmente o preparador Cristiano Nunes, mas problemas pessoais inviabilizaram sua ida para São Januário. Com isso, Flávio de Oliveira, que trabalhou no Vasco em 2017 com Milton Mendes, foi o escolhido.

Junto com Abel também chegam o auxiliar-técnico Leomir e o preparador de goleiros Marquinhos Lopes. Eles se juntarão ao auxiliar Ramon Menezes e ao auxiliar de preparação de goleiros Carlos Germano, que já fazem parte da comissão fixa do Vasco.

Para o Palmeiras, além de Antônio Mello e Daniel Gonçalves, o técnico Vanderlei Luxemburgo levou o auxiliar Maurício Copertino.

O Vasco ainda busca um nome para substituir Daniel Gonçalves.

Fonte: UOL Esporte