Categorias de base

Após temporada mágica, base vascaína é a esperança do clube

0

Cerca de quatro horas após o Vasco empatar com o Corinthians em 0 a 0 e virtualmente ser rebaixado na Série A do Campeonato Brasileiro, o sub-20 vencia nos pênaltis o Atlético-MG e se sagrava campeão da Supercopa do Brasil, o quarto título da categoria na temporada. Um retrato fiel da realidade paralela que ocorre entre o profissional e a base cruzmaltina.

O ano mágico dos "Meninos da Colina", aliás, não foi isolado. Desde 2018, o clube tem conquistado ou disputado títulos, se consolidando num patamar de destaque nas categorias inferiores.

Gerente de futebol da base e apontado por muitos como um dos principais propulsores do sucesso atual, Carlos Brazil ressaltou o que considera como alguns dos segredos desses resultados.

"Trabalho, profissionais comprometidos e competentes, metodologia de trabalho, treino, jogo e qualidade dos jogadores do clube. Acho que o segredo, sempre, é a qualidade nos recursos humanos, o trabalho em equipe, sem muita vaidade. E também o planejamento", destacou ao UOL Esporte o dirigente, que teve três treinadores no sub-20 nas últimas três temporadas e, mesmo assim, manteve o nível de competitividade e resultados.

"Temos trazido sempre treinadores alinhados com a metodologia do clube", explicou.

Empossado há pouco mais de um mês como presidente do Vasco, Jorge Salgado enalteceu o trabalho e ressaltou que a base será um fator importante na reconstrução do clube, rebaixado no profissional pela quarta vez em sua história.

"Nossa base forte obteve o melhor resultado do futebol brasileiro nessa temporada, ganhamos praticamente tudo. Nossos atletas e comissão técnica estão de parabéns. Nesse momento de enormes desafios, a base do Vasco será um dos alicerces para a construção do futuro de nosso clube", disse ao site oficial vascaíno.

Jovens ainda oscilam no profissional

Sem poder de investimento e com contratações que não deram certo, o profissional do Vasco acabou utilizando muitos garotos revelados na base e que ainda estão em processo de formação, casos de Talles Magno, Gabriel Pec, Juninho, Vinícius, Cayo Tenório, Miranda, Lucão, entre outros, e os jovens viveram momentos de oscilação, algo encarado com naturalidade por Carlos Brazil.

"A transição para o profissional, em minha opinião, é o maior desafio dos meninos e, diria até, do futebol brasileiro, para que não percamos tantos talentos. Por problemas de orçamento, que todos têm ciência, houve uma necessidade maior de meninos do sub-20 estarem na equipe profissional. Desta forma, alguns meninos subiram muito novos. Se os mais velhos oscilam, muito natural que os mais jovens oscilem até mais. Todos eles fazem a base jogando contra meninos da mesma idade e a subida para o profissional se torna um grande desafio. É outro ambiente, há uma cobrança muito maior de mídia e torcida, são jogos mais físicos com jogadores de diversas idades, alguns até com mais de dez anos de experiência no futebol profissional", avaliou Brazil.

"Tratamos todos os jogadores no Brasil como exceções. Esquecemos que exceções são raras. O que é a exceção no dicionário? Desvio de uma regra ou de um padrão convencionalmente aceito. Então a regra é termos bons jogadores formados. E bons jogadores formados vão dar o mesmo resultado que as exceções apresentam? Claro que não. De um modo geral, necessitamos criar um processo para a transição, mas não para a exceção. Um processo bem elaborado requer, entre vários itens, uma fase de adaptação, o que normalmente não acontece em nosso futebol. Tenho apontado o River Plate como um exemplo a ser seguido. Não digo que é o processo mais correto e nem que serviria totalmente para qualquer clube no Brasil, mas lá tem processo e vem dando certo. Prova disso são os resultados dos últimos anos não somente no campo, como também nas vendas".

Carlos Brazil revelou que tem mantido conversas e um alinhamento com o diretor-executivo de futebol do profissional, Alexandre Pássaro.

"Pássaro tem enfatizado a questão da necessidade da verticalização na gestão do futebol. Importante frisar sempre que há procedimentos que são necessários antes, durante e depois em uma fase de transição, e a formação precisa continuar acontecendo mesmo quando o jovem já está na equipe profissional", ressaltou.

Vasco iniciará o Carioca com o sub-20

O Vasco iniciará o Campeonato Carioca com a comissão técnica e a equipe sub-20, além de 11 jogadores revelados no clube e que já estavam treinando no profissional. A partida de estreia será nesta quarta-feira (3), às 21h, contra a Portuguesa (RJ), em São Januário (RJ).

O jogo seguinte, diante do Volta Redonda, no sábado (6), também será com a mesma delegação. O time principal deverá estrear somente na terceira ou quarta rodada.

Base terá seu CT próprio em breve

Outro ponto que tem sido bastante comemorado e que ajudará ainda mais no trabalho realizado na base do Vasco é a proximidade da inauguração do CT de Caxias, que ganhou investimento em obras e em breve se tornará a casa das categorias inferiores.

Até então, muitas delas têm treinado e jogado no CT do Artsul, que é alugado mensalmente pelo Cruzmaltino.

"É extremamente importante para o Vasco e para a formação de seus atletas ter um CT seu, com tudo funcionando em um só local: campos, academia, refeitório, alojamentos e até escola, se for possível. Além de ser uma referência e criar uma identidade para atletas, pais e agentes dos jogadores, haverá um desenvolvimento natural na parte técnica, tática, física, psicológica, cognitiva e nutricional, pois tudo poderá ser feito em um só local e sem grande perda de tempo no deslocamento. Cada minuto, cada hora de treino a mais, gera um desenvolvimento que muitas pessoas que não militam no esporte sequer têm noção. A tríade treino de alta intensidade, alimentação adequada e recuperação suficiente gera atletas de alto rendimento preparados para todos os desafios que a carreira exige", destacou Brazil.

Vasco aguarda participação na Libertadores sub-20

Com o título da Supercopa do Brasil —torneio que reuniu o campeão da Copa do Brasil (Vasco) e o campeão brasileiro (Atlético-MG)—, o Cruzmaltino ganhou o direito de disputar a Copa Libertadores sub-20, competição essa que ainda não está confirmada pela Conmebol.

Anteriormente, ela foi disputada em 2018 (Nacional-URU campeão) e 2020 (Independiente Del Valle-EQU campeão).

"Não sabemos ainda se acontecerá a competição. Ainda não está confirmada pela Conmebol, mas, certamente, se acontecer, estaremos preparados para ela. Nosso objetivo maior é formar. Não fazemos qualquer temporada, independente das competições, focados em contratar, mas pode acontecer pontualmente em acordo com as oportunidades e necessidades do elenco", explicou Carlos Brazil.

Veja desempenho do sub-20 nos últimos anos

2018

  1. Semifinal da Copa RS
  2. Vice-campeão carioca

2019

  1. Vice da Copa São Paulo de Futebol Júnior
  2. Vice da Taça Guanabara
  3. Campeão da Taça Rio
  4. Vice-campeão carioca
  5. Vice da Taça OPG
  6. Copa do Brasil (semifinal)
  7. Campeonato Brasileiro (semifinal)
  8. Vice da Copa RS (final)

2020

  1. Copa São Paulo de Futebol Júnior (quartas)
  2. Campeão da Taça Guanabara
  3. Campeão Carioca
  4. Campeão da Copa do Brasil

2021

Campeão da Supercopa (retroativo à competição de 2020)

Fonte: UOL Esporte
Loading...
  • Domingo, 18/04/2021 às 18h30
    Vasco Vasco 2
    Boavista Boavista 2
    Taça Guanabara Estádio Elcyr Rezende de Mendonça
  • Sábado, 24/04/2021 às 16h00
    Vasco Vasco
    Resende Resende
    Taça Guanabara São Januário
  • A definir
    Vasco Vasco
    Operário Operário
    Campeonato Brasileiro - Série B A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Ponte Preta Ponte Preta
    Campeonato Brasileiro - Série B A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Brasil de Pelotas Brasil de Pelotas
    Campeonato Brasileiro - Série B A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Avaí Avaí
    Campeonato Brasileiro - Série B A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    CRB CRB
    Campeonato Brasileiro - Série B A definir