Cano e Benítez estreitam laços fora de campo no Vasco

21/07/2020 às 08h14 - FUTEBOL

Um novo país, com língua e culturas diferentes. Para complementar, uma pandemia histórica de coronavírus que gerou uma paralisação no esporte e um distanciamento social. Com todas essas adversidades, os argentinos Germán Cano e Martín Benítez buscaram uma aproximação também fora de campo na primeira temporada no Vasco.

De folga no último domingo (19), os "hermanos" decidiram conhecer melhor o Rio de Janeiro, onde fizeram um passeio de lancha junto com esposas e filhos por diversos pontos conhecidos da cidade.

Durante a semana, as famílias já haviam se reunido para o aniversário de 2 anos do pequeno Lorenzo, filho de Germán Cano.

No dia a dia dos treinamentos, costumam ir juntos para São Januário e realizam as atividades físicas na companhia um do outro.

Cano chegou "sozinho"

Cano foi contratado no início da temporada, e quando chegou ao Vasco, era o único estrangeiro do grupo, uma vez que o colombiano Guarín atravessava uma novela para renovar seu contrato e não estava treinando. Raul Cáceres, lateral direito paraguaio, não permaneceu para 2020 e retornou ao Cerro Porteño (PAR).

Quando Benítez acertou, Guarín já havia renovado e Cano estava há três meses no clube, com oito partidas disputadas e quatro gols marcados. E foi a dupla a responsável por recepcioná-lo.

"Eles me receberam muito bem. Foram os primeiros que me receberam e foram dizendo coisas do clube para que fosse entendendo tudo. Isso foi muito fácil, porque falamos o mesmo idioma, então, isso também serviu muito para poder estar tranquilo e saber como me mover no Vasco", declarou Benítez ao UOL Esporte, em maio.

Desde o retorno das atividades no futebol carioca, Guarín ainda não voltou aos treinamentos no Vasco. Enfrentando problemas pessoais, ele foi autorizado a viajar para a Colômbia, mas seu futuro ainda é incerto no clube, mesmo que tenha contrato até 2022. Com isso, os argentinos são os únicos gringos do elenco.

Cano e Benítez não se conheciam

Embora seja argentina, a dupla nunca atuou junta e não se conhecia. Cano, de 32 anos, é da cidade de Lomas de Zamora, no interior de Buenos Aires. Já Benítez, de 26, é de Posadas, na província de Misiones, já bem próximo ao Paraguai.

O atacante Germán Cano foi criado nas divisões de base do Lanús, mas nunca vingou em seu país natal. Seus momentos de maior destaque no futebol foram no México e na Colômbia, onde desandou a fazer gols pelo Independiente Medellín.

Já Martín Benítez jogou toda sua carreira no Independiente, tradicional clube argentino. Sua primeira experiência fora dele é justamente no Vasco, onde está emprestado por uma temporada.

Fonte: UOL Esporte