Conheça as propostas de divisão de cotas que o Clube dos 13 está discutindo

13/03/2006 às 18h15 - CLUBE

Os 20 clubes de maior torcida do país decidem, na tarde desta segunda-feira, quanto cada um deles deverá ganhar dos cerca de R$ 300 milhões pagos pela Rede Globo pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro até 2008.

Uma Assembléia Geral do Clube dos 13 vai apontar o novo critério para a divisão das cotas de TV pelo próximo triênio. A reunião, que ocorre na sede da entidade em São Paulo, promete bastante discussão, já que o novo modelo a ser adotado deve, como nas ligas européias, premiar também os times com melhor performance no campeonato.

Em pauta está a discussão das propostas elaboradas pela Informídia e pela TNSSports, que foram contratadas pelo C13 para apresentarem uma solução para a divisão das receitas. As duas empresas tinham a obrigação de colocar, no estudo, os seguintes critérios de divisão: tradição, exposição na mídia e desempenho no campeonato.

Dentro dessa pré-definição dada pelo Clube dos 13, a proposta da Informídia prevê uma inovadora divisão de receitas, premiando também a performance de ataque, defesa e de disciplina dos times.

A sugestão dada pela empresa prevê a divisão de 50% do montante pela participação do clube no campeonato, sendo que existem sete variáveis dentro disso, sendo cada uma com pesos diferentes. Outros 45% serão pagos conforme a exposição do time na televisão, existindo também quatro variáveis de diferentes pesos. Por fim, 5% dos R$ 300 milhões seriam pagos conforme o desempenho do time no campeonato, também com quatro variáveis.

A inovação na proposta da Informídia consiste em que 4,9% seriam pagos conforme a posição do time no campeonato e o 0,1% restante seria dividido em melhor ataque do campeonato (0,05%), melhor defesa (0,025%) e time mais disciplinado (0,025%).

Do outro lado, a proposta da TNS pretende uma evolução gradativa nas divisões das receitas. O estudo feito pela empresa prevê a manutenção da divisão atual em 2006, a mudança para 2007 de 85% do valor pago pela participação no campeonato, 10% conforme a exposição do time e outros 5% pela premiação. Em 2008, os percentuais mudariam para 75% pela participação, 20% pela exposição e 5% pela premiação.

As propostas serão analisadas pelos clubes, que têm alguns entraves para chegarem a um consenso. O principal deles é o adiantamento de algumas cotas, prática comum em alguns clubes e que fez com que, em 2003, a Globo mantivesse o acordo exclusivo com o Clube dos 13 mesmo tendo oferecido uma proposta de valor inferior ao SBT.

Existe, ainda, a possibilidade de as porcentagens serem alteradas pelos clubes dentro da proposta vencedora. O Clube dos 13 usará os estudos para nortear a divisão das receitas nos próximos anos, e a vencedora deverá ser contratada para cuidar dessa divisão até o final do contrato com a Globo, em 2008.

Fonte: Máquina do Esporte/MB Press