De volta, Viana quer torneios de um semestre

08/01/2006 às 13h32 - FUTEBOL

Após correr risco de morte, em razão de uma grave doença renal, e ter perdido por dez meses seu cargo por decisão judicial, o presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, Eduardo Viana, 67, volta ao Estadual-2006 com a promessa de montar uma ofensiva para mudar o calendário nacional.

Responsável por bagunçar várias edições do Estadual, o dirigente, conhecido como Caixa D\"Água, já decidiu que neste ano vai liderar as cúpulas das federações para voltar a ter torneios locais mais longos.

\"Vou continuar com o meu estilo polêmico. Nisso não mudei. Temos que dar um semestre para os Estaduais. Vou lutar sem parar para recuperar isso.\"

De outubro de 2004 até agosto de 2005, Viana ficou fora da Ferj por decisão judicial sob acusação de formação de quadrilha, estelionato, fraude processual e falsidade ideológica. O cartola retomou o cargo no Superior Tribunal de Justiça.

\"Aquilo vai rolar por dez anos, mas nada foi apurado\", disse Viana, que afirmou inocência no processo de evasão de renda no Maracanã em 2003. E volta à carga contra o Brasileiro de pontos corridos.

\"Não tenho medo de ser ponto de resistência ou de servir de alavanca. Temos que pressionar a CBF. O que não dá é continuar com esta procissão que é o Brasileiro, que não acaba nunca e só tem emoção nas últimas rodadas. Estão matando as grandes camisas brasileiras\", afirmou o dirigente.

No período em que passou fora da federação, Viana teve que ser submetido a um transplante de rins, em fevereiro do ano passado. \"Foi para não morrer\", resumiu.

Por causa de uma insuficiência renal, ele emagreceu mais de 20 kg, praticamente não enxergava e tinha que ser submetido três vezes por semana a sessões de hemodiálise.

\"Por azar dos inimigos, a minha saúde está ótima. Não estava muito assustado porque estava lutando pelo poder na federação. Na briga, supero tudo\", disse o presidente de Ferj, acrescentando que está preparando o seu sucessor. A próxima eleição será no segundo semestre do próximo ano.

Fonte: Folha Online