Especulações e Saídas clique aqui

Descrito como 'pacificador', Calçada é velado no Vasco

05/08/2019 às 21h37 - FUTEBOL

Antônio Soares Calçada foi velado na noite desta segunda-feira na Capela de Nossa Senhora das Vitórias, em São Januário. O ex-presidente do Vasco faleceu aos 96 anos em decorrência de complicações em um quadro de infecção abdominal. Familiares, torcedores do Vasco ilustres e anônimos, ex-jogadores e nomes da política do clube marcaram presença no local.

Calçada foi descrito como um pacificador por amigos presentes no velório. Sua gestão como presidente foi de 1983 a 2000, sem grandes crise políticas no período. O ex-jogador Bebeto, com quem o dirigente trabalhou entre 1989 e 1992, era um dos mais emocionados.

- É um dia muito triste para mim. Ele era uma pessoa maravilhosa, muito apaziguadora. Ele gostava de ter as pessoas perto dele, era agregador. Lembro que eu ia na sala dele e ficávamos horas conversando. Foi ele quem me contratou, foi ele que me chamou para comunicar da proposta do Deportivo. Disse para mim, "meu filho, tem uns espanhóis querendo te contratar". É muito triste - afirmou.

O presidente Alexandre Campello também destacou o estilo de liderança que Calçada exercia quando era o presidente do clube. Os dois trabalharam juntos no período em que Campello era médico do departamento de futebol, entre as décadas de 80 e 90.

- Ele me inspira nesse lado conciliador, de tentar trazer os verdadeiros vascaínos para dentro do clube. Ele sempre tentou valorizar as tradições do clube, a colônia portuguesa. Isso é algo que trago comigo - afirmou.

O último a receber o apoio de Calçada na política do Vasco, porém, não foi Campello. Na última eleição para presidente do clube, depois que Alexandre Campello e Julio Brant romperam, o ex-presidente manifestou apoio a Brant e chegou a vir como vice-presidente do candidato. Eles foram derrotados, mas ficou a amizade.

- Ele sempre foi muito solicito, disposto a dar conselhos, orientações, ensinar sobre o Vasco. Foi muito importante na última eleição, fez um gesto gigante para tentar colocar o clube no caminho daquilo que ele achava melhor. Perdemos um líder, uma referência - afirmou Brant.

Fonte: Extra