Em reunião, Identidade Vasco decide apoiar empréstimo para quitar salários

29/05/2019 às 20h35 - CLUBE

Em reunião realizada na noite desta terça-feira (28) o Grupo Identidade Vasco decidiu que os integrantes do Conselho Deliberativo ligados ao Grupo votarão favoravelmente à contratação de um empréstimo que viabilize o pagamento das folhas salarias atrasadas de abril e maio de jogadores e funcionários.

É necessário que os vascaínos estejam atentos aos seguintes fatos:

1- A diretoria administrativa divulgou aos sócios, torcedores e ao mundo esportivo em geral que o Vasco estaria superavitário em 64,9 milhões, alardeando que tal superávit seria maior do que o do Palmeiras.

2 - Logo em seguida, diversas decisões judiciais de cobrança foram autorizadas pela justiça referentes a dívidas não pagas. Jogadores e funcionários estão há 2 meses sem salário.

3 - Em setembro de 2018 foi aprovado, a pedido desta mesma diretoria administrativa, a contratação de um empréstimo de 38 milhões. Na ocasião, gráficos e slides apresentados ao Conselho Deliberativo “provavam” que tal empréstimo seria o início da estabilização financeira do Vasco. Um dos integrantes da diretoria chegou a declarar textualmente que “o empréstimo não entra para fechar o ano. Ele entra para sustentar um planejamento de três anos (...) O que queremos mudar, e que é a batalha dessa administração, é que a gente dependa menos de empréstimo para pagar folha”.

4 - Apenas 8 meses depois a diretoria administrativa solicita autorização para a contratação de um novo empréstimo, de 10 milhões, valor que posteriormente foi aumentado em mais 20 milhões, totalizando 30 milhões. O fato de não saber sequer qual o valor do empréstimo necessário, triplicando o montante originalmente solicitado em pouco mais de 24 horas, como um adolescente que não sabe quanto pede ao pai de mesada, é prova da completa falência administrativa da gestão Campello.

5 - Por fim, recomenda-se análise cuidadosa da lei do Profut, à qual o Vasco está vinculado, pois esta considera - no inciso 4 do artigo 25 - “atos de gestão irregular ou temerária”: “receber qualquer pagamento, doação ou OUTRA FORMA DE REPASSE DE RECURSOS oriundos de terceiros que, no prazo de até um ano, antes ou depois do repasse, tenham celebrado contrato com a entidade desportiva profissional”.

Diante destes fatos, o Grupo Identidade Vasco defenderá a aprovação da contratação imediata de um empréstimo, contraído de acordo com a lei, visando ESPECIFICAMENTE pagar duas folhas salarias atrasadas de jogadores e funcionários, e condiciona este e qualquer acréscimo a uma detalhada justificativa da diretoria administrativa sobre a destinação destes recursos e imediata comprovação dos valores pagos.

Fonte: Facebook Identidade Vasco