Empréstimo de Dedé ao Vasco é a maior possibilidade de negócio entre clubes

30/12/2019 às 15h59 - FUTEBOL

Dentro de uma programação de contratações pontuais na atual janela de transferências, o Vasco estabeceu Dedé como uma de suas prioridades para 2020. O clube de São Januário já tem noção da complexidade da negociação para repatriar o zagueiro, ídolo da torcida nas temporadas de 2011 e 2012.

Financeiramente, existe a necessidade de uma composição que comprometeria as três partes envolvidas: Cruz-maltino, Dedé e Cruzeiro. O zagueiro ganha um salário de aproximadamente R$ 700 mil, algo completamente fora da realidade estabelecida pelo clube mineiro, que estipulou um teto salarial de R$ 150 mil em 2020.

O Vasco estaria disposto a pagar até R$ 350 mil de salário para o defensor, metade do que Dedé recebe atualmente. Caso o Cruzeiro aceite arcar com parte do pagamento do jogador, a redução salarial seria menor e mais fácil de ser aceita.

O carinho dos vascaínos por Dedé é visto como um trunfo que pode sensibilizar o jogador a aceitar a redução salarial e se transferir para um clube que, assim como o Cruzeiro, enfrenta recorrentemente o problema de atraso nos pagamentos. Com a diferença que os mineiros disputarão a Série B em 2020.

Dedé tem contrato longo com o Cruzeiro, até dezembro de 2021, o que dificulta uma hipótese de rescisão e transferência definitiva para o clube de São Januário. Aos 31 anos e com histórico de problemas físicos, tem poucas chances de receber uma proposta de compra dos direitos econômicos - cenário em que o Vasco não teria condições de enfrentar concorrência. A probabilidade maior é que seja colocado à disposição para empréstimo.

A diretoria vascaína fechou a contratação do atacante argentino Cano, destaque no Independiente Medellín, da Colômbia, nas duas últimas temporadas. Além de um centroavante, havia vislumbrado a contratação de um lateral-esquerdo e de um meia de criação como prioridades.

Entretanto, a troca no comando da comissão técnica, saiu Vanderlei Luxemburgo e entrou Abel Braga, desencadeou mudanças: Henríquez corre o risco de não ter o contrato renovado, o que cria a necessidade de contratar outro zagueiro. Além disso, a tendência é que Ramon e Henrique disputem vaga antes de o clube ir atrás de um lateral. Já o meia armador segue sendo um alvo da diretoria. Pity Martínez, argentino do Atlanta United, tem sido especulado, mas é um nome fora dos planos do clube.

Fonte: Extra Online