Entenda como o Vasco pode ter entrado no radar de donos do PSG

27/10/2019 às 18h08 - CLUBE

Foto: Thaís MagalhãesPresidente do Vasco, Alexandre Campello está em busca de investidores
Presidente do Vasco, Alexandre Campello está em busca de investidores

Ancelmo Gois, em sua coluna em "O Globo", afirmou que diretores do Fundo de Investimento Qatar Sports, dono do Paris Saint-Germain, manifestaram interesse em investirem no Vasco em conversas com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Mas o presidente do Vasco, Alexandre Campello, nega que já tenha feito contato com representantes da empresa. Então o que poderia explicar o vínculo entre qataris e o clube de São Januário?

O que há de público que pode de alguma forma ligar o Vasco aos árabes é a relação entre Felipe Loureiro, coordenador técnico da Ponte Preta, e os dirigentes do futebol do Qatar. Durante a Copa América deste ano, o ex-jogador, ídolo do Vasco e que por cinco anos atuou pelo Al Sadd, clube mais popular do país do Oriente Médio, esteve com a delegação da seleção árabe no Brasil.

Felipe encontrou Jassim bin Hamad, irmão do atual emir do Qatar, Tamim bin Hamad, no Maracanã, na partida da seleção qatari contra o Paraguai, dia 16 de junho. O Fundo de Investimento Qatar Sports, presidido por Nasser Al-Khelaïfi, tem ligações com o governo do Qatar, do qual Tamim faz parte. Felipe, por sua vez, tem envolvimento com a política vascaína - nas duas últimas eleições para presidente, apoiou abertamente Julio Brant.

Campello desconhece interesse

Procurado pela reportagem, Alexandre Campello afirmou que soube do interesse dos árabes em fazer uma parceria com o Vasco apenas pela notícia publicada por Ancelmo Gois. Desde o meio do ano que o dirigente tenta estabelecer conversas com possíveis parceiros, tanto para patrocinar o clube quanto para investir na reforma de São Januário.

De acordo com a notícia publicada por Ancelmo Gois, a parceria entre os árabes donos do PSG e o Vasco estaria inserido no contexto de transformação dos clubes brasileiros em empresas. A discussão ocorre atualmente em Brasília e Rodrigo Maia é um dos defensores da iniciativa. Campello, por outro lado, já se manifestou que não vê o Vasco atualmente adotando o modelo que o Botafogo estuda implementar a partir de 2020.

Fonte: Globo Online