Essa receita é vencedora

19/02/2006 às 09h54 - FUTEBOL

Romário teve nos velozes Euller e Alex Dias seus dois melhores parceiros nos últimos anos.
Hoje, às 16h, contra a modesta Portuguesa, em São Januário, o Baixinho terá mais um hábil ligeirinho ao seu lado: Valdiran, que com suas pedaladas e um futebol de alta velocidade, exibido no empate de 1 a 1 com o Botafogo-PB, na quarta-feira passada, deixou o vascaíno esperançoso para a disputa da Taça Rio.

Aos 23 anos, dono de uma autoconfiança impressionante, Valdiran vê em suas caraterísticas o complemento ideal para Romário - como, um dia, já foram Euller e Alex Dias.

A responsabilidade de servir ao Baixinho empolga o garoto, que tem a maior chance da carreira de colocar Canhotinho, cidade de 30 mil habitantes no interior de Pernambuco, onde ele nasceu, no mapa do Brasil.

- Em 94, torci bastante para Romário na Copa do Mundo. É coincidência demais eu estar aqui ao lado dele agora, no ataque. Foi Deus que me colocou aqui, e vou fazer de tudo para ajudá-lo a chegar aos mil gols. Vai dar tudo certo - disse.

Desde que chegou a São Januário, há nove dias, Valdiran tem recebido uma atenção especial de Renato Gaúcho. Durante os treinos, não é raro ver o técnico batendo um papo ao pé do ouvido com o atacante, que tem no Vasco a possibilidade de transformar seu passado repleto de caminhos tortuosos - foi detido por agressão e até por tentativa de estupro -, em lições para o futuro, que começa a construir junto da esposa Fernanda e da filha Letícia.

- Hoje, minha cabeça é diferente. Tenho esposa, filha, e sei separar o que é bom do que é ruim. Nunca vou esquecer o que o Vasco tem feito por mim. Espero retribuir - diz.

Um punhado de agilidade (especialidade de Valdiran) aliada à precisão de Romário na hora de finalizar: se a dupla funcionar, os adversários - e até Edílson - que se cuidem...

Fonte: Lance