Eurico ameaça não aderir à Timemania caso não possa contestar dívidas

15/08/2007 às 08h20 - POLÍTICA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu sinal verde ao Ministério do Esporte, Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e clubes para elaborar medida que crie mecanismos para injetar recursos nos clubes por meio de novos benefícios governamentais.

Ao assinar o decreto que regulamentou a Timemania, Lula afirmou que a loteria não passa de uma experiência para sanear os cofres das agremiações. Reiterou ser necessário enviar mais esforços para tornar os clubes mais competitivos, mantendo talentos no país pelo maior tempo possível.

- Queremos que os clubes de volta com craques em campo e estádios lotados. No sábado, assisti a um jogo na Europa com estádio apinhado de gente. No dia seguinte, vi um Corinthians x Grêmio num Pacaembu com 8 mil pessoas. Não dá certo. O clube só vai sobreviver se encher estádio e só vai encher estádio se apresentar espetáculo. E só vai apresentar espetáculos com grandes jogadores – disse Lula.

Rápido no gatilho e no discurso, Lula lançou desafio aos dirigentes e membros do governo. Sugeriu criação de grupo de trabalho para aperfeiçoar a legislação de modo a criar novas receitas para os clubes. Citou a mudança na Lei Pelé, já em trâmite no Congresso, que pretende evitar o êxodo de jovens atletas para o exterior, aumentando a indenização e ampliando o direitos dos clubes formadores.

- Não tem saída a curto prazo.

Precisamos tornar os clubes capazes de segurar jogadores de bom nível.

Sinceramente, não sei a resposta.

Mas, dirigentes, convençam o governo a editar um projeto de lei para beneficiá-los. Deveremos dar ao futebol brasileiro o mesmo tratamento que se dá a qualquer setor.

Futebol traz dinheiro, emprego, alegria e tristeza – enfatizou Lula.

Brasília

Ainda que sentados na primeira fila da cerimônia de regulamentação e dizendo-se agradecidos pelo esforço governamental em sanear as dívidas, alguns dirigentes não se deram por satisfeitos e disseram condicionar a adesão de seus clubes à Timemania à garantia de continuar com processos judiciais nos quais contestam dívidas com a União.

O presidente do Vasco, Eurico Miranda, se indignou com o veto de Lula em continuar as ações. Afirmou que só irá aderir, caso o governo permita que o clube siga contestando débito de R$ 11 milhões com o INSS cujo parecer lhe foi favorável em instâncias preliminares. Mustafá Contursi, presidente do Sindicato de Clubes, concorda. Disse que, embora ainda acredite em diálogo com o governo, não descarta que as entidades que se julgam prejudicadas entrem com mandado de segurança para assegurar a adesão à Timemania resguardado o direito de seguir com os processos.

O governo não é flexível sobre o assunto, especialmente o Ministério da Fazenda. A pasta do Esporte, que apoiou a demanda dos clubes, respaldou o veto presidencial.

– Contestar esse direito é legítimo.

Mas as chances de sucesso, baseadas em jurisprudências, são quase nulas – disse o diretor de projetos do ME, Alcino Reis.

Fonte: Lance