Futebol

Ex-Vasco, Rafael Silva relembra episódios com Eurico Miranda

O lançamento da série documental "A Mão do Eurico" pela Globoplay revelou algumas de tantas histórias de um dos principais personagens da história do futebol brasileiro. Eurico Miranda fez muitos inimigos, mas também espalhou alguns "filhos" pelo Brasil afora, sem contar os quatro de sangue.

Um desses "filhos não biológicos" é o atacante Rafael Silva, autor de gols importantes no Vasco em 2015, quando o cruzmaltino tinha Eurico como presidente. Depois de ser um dos destaques do Ituano na conquista do Paulistão em 2014, o jogador se transferiu para disputar o Campeonato Brasileiro.

Meses depois, naquele mesmo 2015, Eurico Miranda foi eleito presidente e voltou ao Vasco após seis anos. Foi aí que começou a relação do cartola com Rafael Silva, que classifica Eurico como o "melhor presidente" que teve na carreira.

– Quando cheguei ao Vasco, o presidente era o (Roberto) Dinamite. Naquele ano teve a eleição e o Eurico foi eleito para os três anos seguintes. Em 2015, como eu tinha contrato com o Vasco, eu estava no elenco e começamos o (Campeonato) Carioca com o Eurico comandando. Era aquele jeitão dele de "Poderoso Chefão". Porém, quem convive com ele sabe que grande parte desse jeitão dele é mais midiático. Entre nós ele era um paizão. Costumo falar que foi, sem dúvidas, o melhor presidente que tive na minha carreira. Ele não era aquela imagem que passava à imprensa – descreveu Rafael Silva.

No alto dos seus 33 anos, o atacante se recorda com nostalgia de sua passagem pelo Vasco e a convivência com Eurico Miranda. Para relembrar esses tempos no clube e o dia a dia com o presidente vascaíno, Rafael Silva não poderia deixar de assistir à série da Globoplay.

Com o tema em foco, o jogador deu uma entrevista exclusiva ao ge e contou algumas das principais histórias entre ele e o folclórico Eurico. Rafael revelou ainda que deve defender um time carioca em 2024, por empréstimo. Confira tudo isso abaixo.

A quebra do jejum do Carioca

Rafael Silva foi um dos protagonistas do título do Ituano, que surpreendeu os grandes e foi bicampeão do Paulistão em 2014. Isso o credenciou a se transferir para o Vasco, logo depois.

No ano seguinte, o atacante foi novamente campeão estadual, mas desta vez pelo cruzmaltino, que não conquistava o estadual há 12 anos. O técnico nos dois títulos era o mesmo: Doriva.

Em 2015, o Gigante da Colina tinha Eurico Miranda como presidente. Rafael Silva lembra que caiu no gosto do cartola ao marcar dois dos três gols do Vasco nas finais do Campeonato Carioca contra o Botafogo.

– Como o Vasco tinha bastante jogador de nome, eu estava no meu cantinho como uma aposta ali. Não era um cara que tinha um nome. Estava trabalhando firme e o Eurico reconhecia, porque ele frequentava os treinamentos. O Eurico via meu esforço e tinha respeito e carinho por mim. Logo quando eu fiz os dois gols da final contra o Botafogo, que tirou o Vasco daquela fila, eu ganhei moral com ele. E também pra coroar a história que ele já tinha no Vasco. O clube vinha de 12 anos sem ganhar um (Campeonato) Carioca e depois caiu bem no meu colo para fazer os gols das finais. Foi muito bacana e a partir daí ele teve um carinho maior por mim. Sempre que a gente se encontrava em São Januário, ele conversava comigo, olhando de cima para baixo daquele jeitão dele. Eu ficava todo tímido, mas era bacana o respeito que a gente tinha um pelo outro – conta o atacante.

Udinese? De jeito nenhum

Após brilhar nas finais do Carioca, Rafael Silva manteve a boa fase pessoal. O Vasco, porém, foi na contramão e começou a empilhar empates e derrotas no início do Brasileirão de 2015.

O bom momento individual do jogador despertou o interesse da Udinese. O clube italiano fez a proposta que agradou ao atacante, mas faltava "apenas" o sim de Eurico Miranda.

– Empatamos muito nas primeiras rodadas. Porém, eu estava fazendo a minha parte e fazendo os gols. Estava numa fase muito boa apesar do time não estar bem. Aí surgiu o interesse da Udinese, na época, quando eu estava com 24 para 25 anos. Aí falei com o Euriquinho, que é o filho dele. 'Pô, é uma baita oportunidade, ir pra Europa, quem não sonha? Fala com o seu pai, me ajuda aí'. Aí isso ficou se estendendo por algumas semanas e o Euriquinho disse: 'Ele falou que não vai te liberar' – disse.

– Aí os empresários me pressionaram para eu falar direto com o Eurico Miranda, mas ele dificilmente pintava no vestiário. Ele ficava mais no gramado e na arquibancada, assistindo ao treino. Mas teve um dia que acabou o treino e eu estava no meu armário me trocando para ir embora. Estava na resenha e o Eurico desceu no vestiário. Eu estava conversando com o assessor de imprensa do Vasco e o Eurico passou olhando meio atravessado e falou: 'Você está trabalhando em particular para o Rafael Silva? Só vejo você conversando com ele'. Falou dando uma dura na brincadeira, aí aproveitei que ele estava de bom humor e falei: 'ô doutor, posso falar com você?' e fui na direção dele. Aí ele já foi me cortando e falou: 'Eu sei o que você quer falar. Você não vai sair do Vasco, você vai ficar aqui no Vasco'. Aí ele deu aquela tragada no charuto e saiu andando. Fiquei com a carinha de gol contra, voltei pra minha gaveta (risos) e todo mundo olhando, e eu todo sem graça – detalhou Rafael Silva.

Julgamento? Deixa com o Eurico

A série "A Mão do Eurico" mostrou o tamanho da influência de Eurico Miranda nos bastidores, ao saber aproveitar as brechas do regulamento. Não foi apenas Edmundo que se favoreceu disso ao conseguir jogar a final do Brasileirão de 2000, mesmo com a expulsão no jogo anterior.

Rafael Silva lembra que também foi beneficiado pelas artimanhas de Eurico em 2015. O presidente conseguiu adiar um julgamento que liberou o atacante para enfrentar o Cruzeiro. O resultado? Dois gols de Rafael.

– Eu tinha sido expulso e ia ser julgado. Tínhamos um jogo importante contra o Cruzeiro lá no Mineirão. E o Eurico não sabia que eu seria julgado um dia antes do jogo. Sei lá o que ele fez lá na CBF. Ele falou com os caras e não sei que negócio ele fez. Só sei que eu não fui julgado, joguei a partida e ainda fiz dois gols. Empatamos um jogo muito importante que estava todo mundo dando que perderíamos para o timaço do Cruzeiro da época. Estava muito tenso uma semana antes, porque eu tinha sido expulso, mas o Eurico me chamou de canto e falou. 'Fica tranquilo, deixa comigo'. Daquele jeitão dele e realmente foi lá e resolveu a parada – revelou Rafael Silva.

Eurico em êxtase

O gol que mais simboliza a passagem de Rafael Silva pelo Vasco foi no tal "campeonato à parte de Eurico Miranda". No duelo pelas oitavas da Copa do Brasil, o cruzmaltino enfrentou o favorito Flamengo. Depois de perder a ida por 1 a 0, o Mengão estava devolvendo o placar e levando a decisão para os pênaltis.

Isso até os 36 minutos do segundo tempo, quando Rafael Silva acertou uma linda cabeçada no ângulo, na bola parada de Nenê. O atacante tirou a camisa e vibrou muito com o gol que garantiu a eliminação do rival e a vaga do Gigante da Colina nas quartas de final. No vestiário, Eurico Miranda cantou e comemorou com seu inseparável charuto.

– No vestiário ele estava louco. Era realmente um campeonato à parte para ele. Nesse dia, o velho estava daquele jeito em um estado de êxtase depois que eliminamos o Flamengo na Copa do Brasil. Dava para ver no semblante dele a alegria fora do comum. O Eurico puxou o grito "Casaca" e continuou fumando o charuto dele – lembra Rafael Silva.

Em jogos grandes como esse, Eurico Miranda costumava pagar o "bicho". Rafael descreve como era o momento que os jogadores recebiam o envelope.

Quando o Eurico pagava o bicho ele dava o envelope e falava: 'Sabe por que está recebendo isso? Porque isso é Vasco. Vocês jogaram como Vasco e isso é uma premiação por ser Vasco'

— Rafael Silva sobre Eurico Miranda

Um pé na Malásia e outro no Brasil

Depois de deixar o Vasco em 2016, Rafael Silva se transferiu para o Cruzeiro, onde também marcou gol em um clássico. Foi contra o Atlético-MG e teve até provocação ao rival ao imitar uma galinha na comemoração.

Após isso, ele passou por quatro clubes brasileiros (Figueirense, Guarani, Bragantino e Ituano) e sete equipes de outros países. Atuou na China, Indonésia, Bolívia, no Iraque e nos Emirados Árabes.

Em 2023, depois de uma passagem curta pelo Ituano, Rafael Silva acertou com o Sri Pahang FC, da Malásia. Sem calendário até maio do ano que vem, o atacante revelou que deve retornar ao futebol brasileiro por empréstimo. O destino pode ser a Portuguesa-RJ por empréstimo, o que permitiria Rafael enfrentar o Vasco.

– Hoje estou na Malásia e tem uma grande possibilidade de eu retornar por empréstimo para a Portuguesa-RJ. Eu tenho contrato até o fim de 2024, mas o calendário da Malásia mudou e vai começar em maio. Aí janeiro, fevereiro, março e abril ficaremos sem atividade e estou vendo a possibilidade de ser emprestado para disputar o Campeonato Carioca. Seria top enfrentar o Vasco e confesso que ficaria emocionadíssimo – projetou.

A 16 mil quilômetros de distância do Brasil, Rafael Silva tenta vir ao país com a maior frequência possível. Além dos familiares, o atacante também tem um negócio em Indaiatuba, cidade do interior de São Paulo.

O jogador é dono de uma das franquias da Inter Academy, que é uma escolinha de futebol da Internazionale de Milão. São 120 alunos que, com a distância de Rafael, ficam sob a responsabilidade de uma sócia dele.

– Está sendo um sucesso. Entrei com um pouco de medo, porque era uma área nova para mim. Estamos com muitos alunos, até mais do estávamos programando. Estou querendo expandir isso para outras cidades e estou muito feliz com esse negócio. Como estou na Malásia, contratei uma coordenadora para ser meu braço direito. No ano que vem, estou querendo fazer algumas viagens que a Inter Academy organiza, como torneios em Milão e em outros países europeus – finalizou o empresário e atacante Rafael Silva.

Fonte: ge
  • Domingo, 03/03/2024 às 18h10
    Vasco Vasco 4
    Portuguesa Portuguesa 0
    Campeonato Carioca São Januário
  • Quinta-feira, 07/03/2024 às 20h00
    Vasco Vasco
    Agua Santa Agua Santa
    Copa do Brasil São Januário
  • A definir
    Vasco Vasco
    Grêmio Grêmio
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Criciúma Criciúma
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Red Bull Bragantino Red Bull Bragantino
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Fluminense Fluminense
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Athletico Paranaense Athletico Paranaense
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir