Fidelidade e paixão: Vascaíno falta ao trabalho para ver o time treinar na T

11/11/2008 às 22h10 - TORCIDA

Um torcedor vascaíno chamou a atenção de muitos cruzeirenses que aguardavam fora da Toca da Raposa 2 a liberação para assistir ao treino do Cruzeiro, na tarde desta terça-feira. Com uma camisa do Vasco nas mãos e um caderninho para pedir autógrafos dos ídolos, Rafael Manhães, 25 anos, não segurava a euforia.

Carioca, nascido e criado em Jacarepaguá, e há seis anos em Belo Horizonte, Rafael deixou o Rio de Janeiro para estudar na melhor faculdade de fisioterapia do Brasil, segundo opinião do próprio. Mas a terça-feira não foi de trabalho para o fisioterapeuta. Ele revela que teve que faltar para ver o Vasco.
- Sou vascaíno de coração e sempre que o Vasco vem a Belo Horizonte eu faço de tudo para acompanhar de dar apoio. Tive que faltar o trabalho hoje para ver o treino do time, mas meu chefe vai entender. Ele é flamenguista e acho que faria o mesmo se fosse o Flamengo treinando aqui na cidade – afirma o vascaíno, que já sabe como recuperar a confiança do chefe:

- Quarta-feira é dia de chegar bem cedinho, umas 6h30m, para atender os pacientes. E também para poder sair cedo e ir para o Mineirão torcer por uma vitória do Vascão contra o Atlético-MG.

A paixão de Rafael Manhães pelo Vasco vem de família. O avô é sócio do clube desde da década de 30, mas foi o tio, Walter Manhães, quem levou o então garoto de cinco anos ao primeiro jogo.

- Eu lembro muito bem. Foi em 1988 e o Vasco empatou em 1 a 1 com o Fluminense, no Maracanã. Desde então eu sempre vou quando posso. Mesmo quando o momento é ruim, como o de agora. Nós vascaínos temos que torcer até o final. Nunca vou abandonar o time – diz Rafael, que acredita na salvação do Vasco:

- Depois das últimas atuações do time no Brasileiro, eu tenho a certeza de que o time não será rebaixado. O Vasco é grande e vamos ganhar as quatro partidas até o final, inclusive do São Paulo. Ainda vamos nos classificar para a Copa Sul-Americana do ano que vem.

Rafael Manhães faz elogios ao técnico Renato Gaúcho e diz que o Roberto Dinamite vai conseguir recolocar o Vasco no seu devido lugar.

- Eurico Miranda foi um ótimo presidente para o Vasco, conquistou quase todos os títulos, mas seu tempo já passou. Dinamite tem carisma e visão para levar o clube ao caminho certo novamente. Assim como Renato Gaúcho. Ele deu um novo padrão de jogo para o time e o fato de falar a língua dos jogadores ajuda dentro e fora de campo – diz.


Rafael Manhães mostra a camisa do Vasco antes do treino do time na Toca da Raposa 2

Fonte: GloboEsporte.com