Gilberto elogia Riquelme e Alexandre: "São jogadores de muito talento"

16/06/2020 às 22h27 - CLUBE

Em mais uma das lives em que o Vasco colocou um ex-atleta de seleção brasileira e com história na Colina para conversar com jovens, Gilberto, campeão brasileiro e da Mercosul em 2000, foi sabatinado pelos laterais-esquerdos Alexandre e Riquelme, ambos crias do clube.

Gilberto, de 44 anos, disse já ter visto a dupla em ação na base vascaína e apostou em sucesso.

- É um orgulho muito grande saber que esses meninos se inspiram em mim de alguma forma, pois tiveram mais jogadores da minha posição que vestiram a camisa do Vasco e tiveram grande destaque, como é o caso do próprio Felipe. Já vi o Alexandre e o Riquelme jogarem nas categorias de base do Vasco. São jogadores que de muito talento, atletas que com certeza vão dar muitas alegrias para o torcedor vascaíno. É preciso ter paciência com esses meninos, até porque ambos possuem muita qualidade. Prevejo um futuro promissor para os dois.

Riquelme fez pergunta a Gilberto e Alexandre falou sobre a profissionalização. Confira abaixo:

Riquelme: Queria perguntar se ele teve alguma dificuldade no processo de transição para o profissional. E também como foi marcar o gol dentro de uma Copa do Mundo?

Gilberto: - O que facilitou muito a minha adaptação ao profissional foi o futsal. Eu tinha idade de juvenil no salão, mas já jogava no adulto. Já tinha o costume de enfrentar atletas com idade que a minha, então essa coisa da falta de experiência e malandragem não pesou muito. É óbvio que ter a responsabilidade de jogar num clube grande pesava um pouco, aquela coisa de jogar no Maracanã cheio, para mais de 70 mil pessoas. Eu procurei sempre conversar com o treinador, que na época era o Joel Santana, para saber onde precisa melhorar e crescer.

- A sensação de fazer gol em Copa do Mundo é indescritível. Foi a realização de um sonho. Assim como vocês hoje certamente sonham em chegar na Seleção Brasileira, eu também tinha esse desejo. Mas não falo de uma seleção de base, mas da principal. Era o meu grande objetivo e consegui atingi-lo. Eu, por exemplo, nunca joguei na seleção de base, só fui para a principal e conquistei alguns títulos, como a Copa América e a Copa das Confederações. Disputei duas Copas do Mundo. Posso dizer que realizei o meu grande sonho

Alexandre revela "batismo" com Luxemburgo: "Tá pronto garoto, não vai tremer não, não é? Tem que ter colhão pra jogar no Vasco?"

- Foi uma experiência muito boa. Todo menino que joga na base do Vasco tem o sonho de jogar em São Januário lotado, então foi um dia que jamais irei esquecer. Consegui realizar esse sonho de atuar no profissional, dar orgulho para toda minha família, para a minha comunidade. O Caldeirão estava lotado, e foi um jogo difícil. Eu aproveitei o momento, a chance que o professor Luxemburgo me deu. Eu lembro que quando acabou o primeiro tempo ele me chamou e perguntou seu estava pronto. Falei que estava, é claro, não podia responder outra coisa, não é? Na nossa vida temos que estar sempre prontos para buscar metas e objetivos. Agradeço a Deus por ter realizado esse sonho de criança

Fonte: Globoesporte.com