Grupo ArquibaVasco divulga nota sobre reunião do Conselho Deliberativo

03/06/2019 às 19h18 - TORCIDA

Carta aberta ao "ainda" Presidente Alexandre Campello, 

Hoje todo vascaíno vive sob o famoso ditado popular: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Todas as conversas são pautadas por suposições, incertezas e falta de esperança, o que nos entristece mais. Porém o cenário é de tragédia anunciada, a qual poderia ter sido evitada caso o "ainda" Presidente colocasse o seu ego abaixo do Vasco da Gama. 

Temos como valor inegociável a preservação do Clube. Sendo assim, nossa postura sempre será de cobrança interna, evitando expor negativamente a imagem do Vasco e buscando soluções efetivas para os problemas identificados na gestão. Em todas as oportunidades e reuniões com agentes políticos ou diretores da atual administração reforçamos os pontos negativos e encaminhamos as sugestões para melhorias, além de oferecer nossas mãos para colaborar no que fosse preciso em prol do VASCO! 

O Departamento de Futebol sempre foi o maior alvo das nossas críticas, visto a situação vexaminosa em que se encontra desde o primeiro dia do Campello eleito (não precisamos relembrar os insucessos vividos pelo esporte carro-chefe do Clube ao longo desse ano e meio da gestão). A cada decisão que considerávamos equivocada, o Arquiba soava a "corneta" e indicava o porquê de não concordar com determinada contratação ou medida que fosse. O feedback? O Presidente não escuta ninguém quando o assunto é futebol! 

Bom Campello, em nossa avaliação o futebol, o qual você transformou numa caixa-preta e centralizou mais do que outros criticados dirigentes, é o motivo pelo qual o senhor vai enfrentar mais um processo de impedimento. Ninguém resiste a tanta falta de transparência, inabilidade de gestão e decisões equivocadas. Ninguém resiste quando trata o Vasco com tamanha omissão e mediocridade. 

Hoje o seu afastamento é uma opinião popular. Se antes, conselheiros de diferentes correntes sofreram pressão para não derrubá-lo, nesta noite são estimulados pelos pedidos em todos os canais onde torcedores imploram pela sua queda. 

Justa? Injusta? Política? Técnica? Não importa mais... 

O senhor teve a faca e o queijo na mão, pessoas boas ao seu lado oferecendo ajuda, a oportunidade de oxigenar o Clube e implementar as mudanças necessárias. Preferiu querer ser o Messias, sozinho, perpetuou um ambiente tóxico e sem governabilidade. Azar do Vasco e de seus milhões de torcedores. 

Que hoje seja o decidido o melhor para o Vasco! Que os conselheiros tenham noção da gravidade do momento pelo qual estamos passando e os riscos envolvidos e coloquem a instituição acima de tudo. 

A nossa posição? Um acordo de paz e eleições em 2019. Precisamos reconstruir o conselho para o Clube poder caminhar. 

AquibaVasco 
Torce, Viaja e Vota 

Fonte: Facebook ArquibaVasco